PUBLICIDADE

Após vice em Paris, Tsitsipas vira número 4 do mundo; Djokovic lidera com folga

Grego está agora com 7.980 pontos, a 650 do espanhol Rafael Nadal e já com vantagem de 555 sobre o austríaco Dominic Thiem

14 jun 2021 12h09
ver comentários
Publicidade

A ATP confirmou nesta segunda-feira a mais importante alteração no ranking pós-Roland Garros, com a chegada inédita de Stefanos Tsitsipas à quarta colocação. Ele defendia a semifinal do ano passado e conseguiu somar 480 pontos ao ter alcançado uma rodada a mais e sua primeira decisão de Grand Slam. O grego está agora com 7.980 pontos, a 650 do espanhol Rafael Nadal e já com vantagem de 555 sobre o austríaco Dominic Thiem.

Rebaixado ao quinto posto por sua derrota tão precoce em Paris, Thiem também corre o risco de ser superado por Alexander Zverev, que totaliza 7.350 e está apenas 75 pontos atrás. O alemão é um dos favoritos na grama do ATP 500 de Halle, em seus país natal, nesta semana e precisará atingir a semifinal para recuperar esse quinto posto, já que sua mais alta classificação da carreira foi o terceiro lugar.

Outra alteração entre os Top 10 foi a queda do argentino Diego Schwartzman para o 11.º posto, uma vez que defendia a semifinal de Roland Garros em 2020. O espanhol Roberto Bautista Agut herdou o posto e fica atrás do russo Andrey Rublev, do suíço Roger Federer e do italiano Matteo Berrettini. Os resultados desta semana na grama, onde todos estão em Halle exceto o último, não irão alterar essa ordem.

Para o sérvio Novak Djokovic, a conquista de Roland Garros não apenas deu novos feitos históricos e únicos a ele, agora o único profissional a ter dois troféus em cada Grand Slam, mas também permitiu que abrisse importante distância no ranking sobre seu mais direto concorrente, o russo Daniil Medvedev.

Finalista no ano passado em Paris, Djokovic somou 800 pontos e assim atingiu o total de 12.113 nesta segunda-feira e está agora praticamente 2 mil à frente do segundo colocado, que totaliza 10.143. A rigor, Medvedev continua com chance de brigar pelo número 1 na curta fase de grama. Ele pode somar 410 pontos nesta semana em Halle e outros 1.990 em Wimbledon, enquanto que o sérvio não pode somar já que defende o título do Grand Slam da grama de 2019.

Já Nadal, eliminado na semi em Paris, perdeu 1.000 pontos, ou seja metade de sua conquista de 2020 segundo os novos critérios da ATP na fase de pandemia do novo coronavírus. Seu total caiu para 8.630 e ele fica sem chance de sequer lutar com Medvedev pelo segundo lugar. No último Wimbledon foi até a semifinal e portanto só pode acrescentar 1.280 pontos.

Djokovic também reassumiu o primeiro lugar no ranking da temporada, a chamada Corrida para o ATP Finals, que neste ano será em Milão, na Itália. O sérvio tem agora 5.170 pontos e deixou para trás Tsitsipas, que havia chegado à liderança no dia 12 de abril e ainda assim está com 4.560 e com vaga no torneio praticamente garantida. Logo atrás estão Zverev, com 2.970, e Nadal, com 2.940.

Com poucos jogos feitos em 2021, Federer aparece somente no 98.º lugar, com 225 pontos, e portanto está muito distante de brigar por vaga no ATP Finals.

BRASIL

Roland Garros não ajudou o tênis masculino brasileiro a galgar posições no ranking. Thiago Monteiro, que defendia terceira rodada, e Thiago Wild, batido no qualifying, sofreram quedas na lista desta segunda-feira.

O cearense recuou três posições e parou no 83.º lugar, o que deve dificultar a sonhada vaga olímpica, já que as projeções de momento indicam que as entradas diretas parem na 75.ª posição. Monteiro só deve voltar ao circuito profissional na chave principal de Wimbledon.

Wild também caiu - dois postos atrás, foi para o número 123. Ele estreará nesta terça-feira na primeira rodada do Challenger de Nottingham, na Inglaterra. O paranaense está inscrito para o qualifying de Wimbledon, que começa na próxima segunda-feira.

Estadão
Publicidade
Publicidade