0

Após suspensão e lesão, Bia Haddad amplia apoiadores e faz parceria com instituto

IRTB passa a bancar um treinador para acompanhar a tenista em suas viagens

24 fev 2021
08h10
atualizado às 08h23
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Se 2020 foi um ano de seguidas dificuldades para Beatriz Haddad, 2021 já se mostra uma temporada de boas conquistas. Ao menos fora das quadras. Enquanto recupera sua melhor forma física e técnica, a tenista brasileira amplia o número de patrocinadores e inicia parceria para reforçar sua equipe no circuito. A atleta, de 24 anos, passou a representar o Instituto Rede Tênis Brasil (IRTB), entidade que surgiu da união entre o Instituto Tênis, idealizado pelo empresário Jorge Paulo Lemann, e a Tennis Route, famosa academia carioca, que já contou com a própria Bia em seus quadros.

Pelo acordo, a tenista passa a ter a sede do Instituto como sua base no Brasil, em Barueri, São Paulo, onde treinará toda vez que estiver em solo nacional. Além disso, a entidade passa a bancar um treinador para acompanhá-la em suas viagens. Rafael Paciaroni já esteve com a tenista em seus primeiros torneios neste ano, na África do Sul, neste mês de fevereiro.

Ex-supervisor técnico de alto rendimento do Instituto Tênis, Paciaroni vai preencher um vácuo na equipe da tenista, que está sem treinador desde que encerrou a parceria de quatro anos com o argentino German Gaich, em outubro do ano passado. O distanciamento causado pela suspensão por doping e, depois, pela pandemia acabou prejudicando a sequência do trabalho com o técnico.

Mesmo quando voltou ao circuito, em agosto, a tenista estava sem condições de viajar com o treinador em razão das dificuldades financeiras que enfrentou nos meses anteriores. No total, ela ficou afastada dos torneios por 13 meses, 10 pela suspensão e mais três pela paralisação do circuito causada pela pandemia.

Em entrevista ao Estadão, publicada em maio do ano passado, Bia relatou o momento difícil vivido fora das quadras. "Está muito complicada a minha situação porque faz mais de dez meses que não recebo nenhum patrocínio, nem 'prize money' (premiação dos torneios). Tudo isso foi tirado de mim. Não está entrando nada", comentara.

Menos de um ano depois, a situação é bem mais favorável. Além da parceria com o IRTB, ela ganhou novos patrocinadores. Em janeiro, a atleta passou a receber o apoio de uma marca de isotônicos. Em março, será a vez de uma rede de escolas profissionalizantes da área de estética.

Os apoiadores devem dar um novo impulso na carreira da ex-número 58 do ranking da WTA. Ao fim da suspensão, ela chegou a figurar na 1339ª e última posição da lista. Com o bom retorno em agosto, com uma série de 27 vitórias e apenas duas derrotas em seis torneios disputados em Portugal, Bia faturou quatro títulos de menor porte e iniciou sua reação. Hoje ela é a atual 363ª colocada.

THIAGO WILD

A investida do IRTB também alcança o número dois do Brasil no masculino. Atual 119º do mundo, Thiago Wild também passa a representar a entidade. Ele terá a sede do Instituto como opção para treinar no País, mantendo o vínculo com o técnico João Zwetsch, ex-capitão do Brasil na Copa Davis e ex-treinador de Thomaz Bellucci.

"A ideia é que os dois tenistas puxem mais crianças para jogar tênis. Eles vão representar o projeto, grudando suas imagens ao Instituto", explica Raphael Barone, diretor do IRTB. "Temos um desafio constante de buscar verba e captar recursos para o atendimento às crianças e adolescentes do projeto."

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade