0

Ainda com 'fome' em Roland Garros, Nadal encara Thiem para manter supremacia

Espanhol, que só perdeu dois jogos no saibro na competição, tenta manter sua supremacia contra austríaco

10 jun 2018
07h04
  • separator
  • comentários

Rafael Nadal continua insaciável em Roland Garros. Detentor de recordes, líder de estatísticas e dono de 10 troféus no saibro de Paris, o espanhol quer mais. Sua "fome" de conquistas no Grand Slam francês será testada mais uma vez na quadra Philippe Chatrier, neste domingo, a partir das 10 horas (de Brasília). O austríaco Dominic Thiem será o desafiante da vez.

O espanhol é o grande favorito ao seu 11.º título em Roland Garros desde o início da atual temporada de saibro na Europa. E, ao longo das últimas semanas, o tenista de 32 anos fez valer a experiência e os seus números - soma 414 vitórias na terra batida, sendo o quarto maior vencedor da história na superfície - para ampliar as apostas em seu nome em Paris.

Não bastassem as estatísticas, ele exibiu nos últimos jogos a mesma disposição que tinha aos 19 anos, quando levantou o Troféu dos Mosqueteiros pela primeira vez. Esbanjou vibração e preparo físico a cada grande ponto como se estivesse em sua primeira campanha vitoriosa em Roland Garros, em 2005.

Mesmo na adversidade, soube superar inícios ruins contra os argentinos Diego Schwartzman, nas quartas de final, e Juan Martín Del Potro, na semifinal. "Ele está jogando cada vez melhor, do primeiro ao último ponto da partida. E esta intensidade está crescendo demais durante o jogo. É muito difícil estar ali concentrado no jogo o tempo todo", atestou Del Potro.

Este volume de jogo é confirmado pelos números. Foram nove torneios disputados no saibro nas últimas duas temporadas. Rafael Nadal venceu sete deles. Nos dois que perdeu, parou no mesmo adversário: Dominic Thiem. E será justamente o atual número 8 do mundo que desafiará a hegemonia do espanhol neste domingo.

"Sem dúvida ele é o maior favorito em qualquer jogo aqui. Mesmo assim, tenho um plano para vencê-lo. Vou tentar repetir o que funcionou em Madri neste ano e em Roma, em 2017", disse o austríaco de 24 anos, antes de disputar a sua primeira final de Grand Slam na carreira. No total, o espanhol leva vantagem, com seis vitórias em nove jogos disputados contra Dominic Thiem.

Rafael Nadal reconhece o desafio. "Ele está jogando muito bem, está forte fisicamente e é um adversário muito complexo. Então, será o meu oponente mais duro aqui", afirmou o número 1 do mundo, que precisa do título para seguir na liderança do ranking - se perder, o suíço Roger Federer retomará o topo.

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade