PUBLICIDADE

Sheik apoia Edenílson: 'Não consigo acreditar na possibilidade dele criar uma história dessa'

Emerson falou sobre a denúncia de racismo no jogo entre Internacional x Corinthians e exaltou a postura do volante colorado

17 mai 2022 11h42
| atualizado às 12h42
ver comentários
Publicidade

Emerson Sheik se posicionou sobre o suposto caso de racismo no empate em 2 a 2 entre Internacional e Corinthians, em partida válida pelo Brasileirão, no último sábado (14). Durante o programa "Arena SBT", o ex-jogador afirmou acreditar na versão contada por Edenílson, do Internacional. O volante afirma que teria sido chamado de 'macaco' pelo lateral Rafael Ramos, do Corinthians.

Momento em que Edenílson pede explicações a Rafael Ramos, do Corinthians (Foto: Ricardo Rimoli / Lancepress!)
Momento em que Edenílson pede explicações a Rafael Ramos, do Corinthians (Foto: Ricardo Rimoli / Lancepress!)
Foto: Lance!

- O Edenílson eu conheço muito bem, é um irmão que o futebol me deu. É muito difícil (sobre acusação de racismo), as imagens são confusas. Não estou aqui fazendo uma acusação, estou falando só do Edenílson. Não consigo acreditar na mínima possibilidade dele ter criado uma história dessa - afirmou Emerson Sheik.

O lance em questão aconteceu aos 30 minutos do segundo tempo. O jogo foi paralisado após Edenílson acusar Rafael Ramos de ter usado o termo "macaco". Os jogadores ficaram discutindo, e a partida foi retomada após quatro minutos de muita cobrança pelo lado Colorado.

Sheik evitou acusar Rafael Ramos, mas voltou a afirmar que confia em Edenilson.

- Não estou aqui dizendo que houve a palavra, estou dizendo que conheço ele. Para ele ter levado isso e não ser verdade, eu tenho minhas dúvidas - disse.

CORINTHIANS DEFENDE JOGADOR

Elenco, comissão técnica e diretoria do Corinthians abraçaram a versão do lateral-direito Rafael Ramos, que nega a acusação de racismo feita por Edenílson.

O português diz que não chamou o jogador adversário de 'macaco', alegando um mal entendido e afirmando que disse uma outra expressão.

A diretoria corintiana acionou uma equipe jurídica para cuidar do caso e questiona a decisão da justiça em Porto Alegre de ter dado voz de prisão em flagrante a Rafael Ramos, se baseando na súmula do árbitro Bráulio da Silva Machado.

Lance!
Publicidade
Publicidade