0

"São seis meses de trabalho", diz secretário de Esportes sobre São Silvestre

27 dez 2017
17h35
atualizado às 20h17
  • separator
  • comentários

Ao passo que a 93ª edição da Corrida Internacional de São Silvestre se aproxima, os últimos ajustes por parte da organização são feitos. Nesta quarta-feira, em encontro realizado no Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa Marechal Mário Ary Pires (COPT), a Secretaria de Esportes e Lazer, a Polícia Militar, Guarda Civil Metropolitana, CET, entre outros órgãos responsáveis pela realização da tradicional prova paulistana, alinharam as pendências finais e apresentaram todos os detalhes à imprensa.

Na pauta da reunião foram incluídos policiamento, isolamento em certos trechos do percurso e mudança no trajeto da prova, fatores que, segundo o secretário municipal de Esportes e Lazer de São Paulo, Jorge Damião, exigem uma grande disposição por parte de quem está envolvido na realização da São Silvestre.

"É um projeto de seis meses de trabalho. A São Silvestre, que acontece em algumas horas, exige seis meses de trabalho grande. O grande resultado disso é assegurar a segurança dos corredores e de quem está participando também. A gente não pode perder de vista que é o último dia do ano, um grande dia de festa, mas também toda a responsabilidade de uma prova internacional que a cidade de São Paulo está proporcionando para o mundo", afirmou Jorge Damião à Gazeta Esportiva.

Para a 93ª edição, a São Silvestre contará com uma pequena mudança no percurso, entre os quilômetros nove e dez. Como a largada neste ano acontecerá mais à frente, entre as ruas Frei Caneca e Augusta, os competidores perceberão algumas alterações na região do Largo do Arouche, onde houve um prolongamento de 200m envolvendo as ruas Rego Freitas, General Jardim e Bento Freitas.

Há 20 anos sem correr, chilena de 77 anos participará da São Silvestre pela primeira vez

Brasil terá seus melhores nomes na 93ª Corrida Internacional de São Silvestre 

Veja os acessos corretos para a largada da São Silvestre

Outro detalhe importante refere-se à presença do público na largada. A partir das 5h (de Brasília) do próximo domingo, dia da prova, a Av. Paulista será isolada. Para quem deseja prestigiar o início das disputas, haverá uma área delimitada entre a Av. Brigadeiro Luís Antônio e a Al. Joaquim Eugênio de Lima aos não-competidores. Após a prova, por volta das 10h, o isolamento é encerrado.

"Precisamos ressaltar a importância do trabalho, que envolve milhares de pessoas. Praticamente todos os órgãos da cidade de São Paulo estão presentes nesta grande reunião: Polícia Militar, transporte, saúde, cultura, SPTur. Todos os componentes da cidade estão à disposição desse grande evento internacional que encerra o calendário esportivo de São Paulo, que é a São Silvestre. Então, a cidade, na verdade, ganha um presente que vai para o mundo todo. Essa organização é quem garante esse evento na nossa cidade", completou o secretário de Esportes e Lazer.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • comentários
publicidade