0

Profeta despista sobre posicionamento em campo: "Temos conversado"

7 jan 2019
20h19
atualizado às 20h19
  • separator
  • comentários

A grande dúvida por parte da torcida que gira em torno de Hernanes não é sobre o que ele poderá render aos 33 anos, mas, sim, onde ele irá render após assinar contrato válido por três temporadas com o São Paulo. Apresentado nesta segunda-feira em Orlando, nos EUA, o Profeta foi questionado sobre qual será seu posicionamento em campo, mas preferiu não dar muitos detalhes.

Hernanes pode atuar tanto como segundo volante como meio-campista. Caso André Jardine escolha a segunda opção, o Profeta concorreria com Nenê por uma vaga no time titular e atuaria da mesma maneira que atuou em sua última passagem pelo clube.

"Temos já conversado com o treinador e, com certeza, são detalhes importantes, porque a posição que eu vou atuar depende muito do que eu possa fazer. Já joguei de várias posições, de tudo praticamente, achava que poderia dar meu melhor em qualquer posição, mas ao longo da minha trajetória vi que a posição é determinante para que eu possa render o máximo e contribuir com o meu melhor. Temos conversado e com certeza chegaremos a um dominador comum", afirmou Hernanes.

A tendência é que Hernanes seja realmente a "cabeça pensante", o principal articulador do São Paulo em 2019. Em sua última passagem pelo Tricolor, em 2017, o Profeta marcou nove gols em 19 partidas atuando nesta função, encerrando a campanha como peça-chave para evitar o rebaixamento da equipe à época comandada por Dorival Jr.

"Quando o clube faz investimentos como fez, trazendo vários jogadores, mantendo jogadores do ano passado, a gente vê o salto que foi dado, um salto grandioso de 2017 para 2018. Em 2017, lutamos por uma coisa. No ano passado, lutamos por outra", comentou.

De fato, a diferença de 2017 para 2018 é gritante. Embora o São Paulo não tenha conquistado o título brasileiro depois de chegar a liderar a competição por oito rodadas, a gestão de Raí teve o mérito de ao menos tornar o clube mais competitivo. Agora, os objetivos são outros. Com nomes como Hernanes, Pablo, Diego Souza, Everton e Nenê não podia ser diferente.

"O clube estava se reformulando, fez uma ótima campanha [em 2018], voltamos a disputar a Libertadores esse ano. Natural e normal que mantendo jogadores de qualidade e trazendo outros, esse salto aconteça", concluiu o Profeta.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade