0
Logo do São Paulo
Foto: Marcos Bezerra / Futura Press

São Paulo

Morumbi entra na corrida para ser um dos estádios da Copa América

Estádio do São Paulo disputa com o Allianz Parque e a Arena Corinthians para se tornar palco da competição em 2019

12 jun 2018
05h04
  • separator
  • comentários

MOSCOU - O estádio do Morumbi entra na corrida para sediar os jogos da Copa América de 2019. Membros do comitê de organização do evento que ocorre no ano que vem no Brasil confirmaram que o estádio do São Paulo pode ser considerado como possível local de jogos do torneio.

Originalmente, a competição estava sendo pensada para ser realizada com 16 seleções. Mas o número caiu para doze, depois que os europeus não conseguiram datas para liberar seus jogadores, enquanto um acordo para a participação do México e dos Estados Unidos também fracassou. Apenas Catar e Japão viajarão ao Brasil como convidados. A mudança também levou a um número menor de sedes.

No caso de São Paulo, a preferência dos organizadores é por usar o Allianz Parque para as partidas. Mas os valores por enquanto apresentados são elevados pelas empresas que gestionam o estádio. A Arena Corinthians também está no páreo. A Conmebol também considera o uso do Morumbi, que teria um custo bastante inferior às demais arenas paulistanas. Uma definição, depois de um longo período de negociações, terá de ser tomada nos próximos meses.

Para a Copa de 2014, o Morumbi ficou de fora do torneio depois que a Fifa declarou oficialmente que não existiam garantias necessárias para as obras. Na semana passada, o ex-presidente da entidade, Joseph Blatter, admitiu ao Estado que ele não tomou a decisão de excluir o estádio e que a proposta havia sido feita pelo Comitê Organizador Local, liderado por Ricardo Teixeira.

Para 2019, um debate similar ocorreu no Rio de Janeiro. Segundo membros da equipe organizadora, a direção do Maracanã chegou a pedir R$ 400 mil por partida realizada no local, o que foi considerado como um preço elevado. Depois de uma ameaça dos organizados de retirar o Rio do torneio, o preço acabou sendo reduzido.

Em outra decisão, a Conmebol ainda indicou que a primeira final em jogo único da Taça Libertadores da América já tem data para ocorrer: 23 de novembro de 2019. A decisão foi tomada em uma reunião de seus dez presidentes de federações nacionais em Moscou.

Ainda que a data tenha sido definida, a concorrência agora é para estabelecer onde a partida será jogada. Inicialmente, Lima havia se apresentado, justificando estar relativamente no centro do continente. Mas outros locais indicaram que poderão se apresentar para o evento. Uma delas seria Santiago, ainda que dirigentes ouvidos pelo Estado admitam que o plano é de que a decisão sobre a primeira sede seja acima de tudo política e comercial.

No Brasil, não se descarta que o Maracanã ou mesmo a cidade de Porto Alegre apresentem suas propostas. Ao realizar uma decisão em um sábado e em jogo único, os sul-americanos esperam elevar a receita do torneio e a visibilidade da final, inclusive no exterior. Em 2017, a Conmebol obteve uma receita de cerca de R$ 500 milhões com a Libertadores. Na Europa, os torneios continentais de clubes somam mais de R$ 6 bilhões por ano em receitas.

APOIO

Nas reuniões da Conmebol em Moscou, foi ainda anunciado que a região daria seu apoio para a reeleição de Gianni Infantino, presidente da Fifa, por mais quatro anos. Com cinco viagens para a região e dinheiro, o suíço passou a ser visto como um aliado do bloco. Para cuidar da chave do cofre da Fifa, ele escolheu o paraguaio Alejandro Domingues, presidente da Conmebol. A eleição ocorre em 2019.

Estadão Conteúdo

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade