1 evento ao vivo

Ídolo do São Paulo, Lugano sentia gosto amargo contra o Brasil há 13 anos

10 jul 2020
07h32
atualizado às 07h32
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

Um dos nomes mais relevantes do São Paulo neste século, Diego Lugano vivia um pesadelo há exatos 13 anos. Na ocasião, Brasil e Uruguai se enfrentaram pela semifinal da Copa América de 2017, disputada na Venezuela. O zagueiro, que à época defendia o Fenerbahce, da Turquia, foi o responsável por decretar a eliminação de sua seleção.

No tempo normal, Brasil e Uruguai empataram por 2 a 2. Maicon abriu o placar para a seleção comandada por Dunga, enquanto Diego Forlán deixou tudo igual para a Celeste. Em seguida, Júlio Baptista voltou a deixar a equipe verde e amarela na frente, porém Loco Abreu empatou o jogo novamente.

Nas penalidades, o equilíbrio foi grande e a disputa foi para as alternadas. Robinho, Juan, Gilberto Silva, Diego e Gilberto marcaram para o Brasil, enquanto Afonso e Fernando desperdiçaram suas cobranças. Do lado uruguaio, Scotti, Ignácio González, Cristían Rodríguez e Loco Abreu fizeram, ao passo que Diego Forlán e Pablo García não converteram.

Portanto, cabia a Lugano manter o Uruguai na briga ou eliminar sua seleção. O zagueiro bateu no meio do gol e Doni fez a defesa, garantindo a classificação do Brasil, que viria a conquistar o título sobre a Argentina na grande decisão.

Ao todo, Lugano defendeu a seleção uruguaia em 95 partidas, tendo marcado nove gols. Pela Celeste, o zagueiro disputou as edições da Copa do Mundo de 2010 e 2014, tendo conquistado a Copa América de 2011.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade