1 evento ao vivo

Diniz assume que eliminação para o Grêmio abalou o time: "Momento de ser duro"

21 jan 2021
07h15
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O técnico Fernando Diniz admitiu que a eliminação para o Grêmio, na semifinal da Copa do Brasil, acabou abalando psicologicamente a equipe do São Paulo. Passada a goleada para o Internacional, em pleno Morumbi, por 5 a 1, a pior derrota da história do clube em seu estádio, o comandante comentou sobre a necessidade de o elenco retomar o nível de desempenho que o levou à liderança do Campeonato Brasileiro, que agora pertence ao Colorado.

"A parte psicológica não é uma coisa linear. A vida é uma coisa que você não tem total controle. É um fato que depois da derrota para o Grêmio tivemos uma queda de desempenho, e a parte psicológica tem influência nisso. A confiança é uma coisa que quando a gente precisa ter, só trabalhando junto, de maneira coesa, que ela vai voltar nos jogos. Não já nada para falar dos jogadores. Eles têm se destacado ao máximo, agora temos que fazer de tudo para voltar a vencer. Momento de ser duro, para todos se fortalecerem e saírem desse momento difícil", afirmou Diniz.

"Não mostramos amadurecimento, mas amanhã podemos mostrar e devemos mostrar. Amadurecimento é isso, como aconteceu em outras ocasiões, temos que buscar forças para amadurecer. Espero muito que a gente aprenda com mais essa derrota e que possamos dar esse título que o torcedor merece, porque quem mais merece esse título são os torcedores", completou.

O lateral-direito Juanfran foi de encontro ao discurso de Fernando Diniz. Para o espanhol, o time vem tendo dificuldades de "sacudir a poeira" após a queda na semifinal da Copa do Brasil para o Grêmio. Agora, o São Paulo lida com o fato de estar fora do torneio mata-mata, mas também de não estar mais na liderança do Campeonato Brasileiro.

"O peso existe, essa é a realidade. Mas, cada jogador, em sua casa, nos treinamentos, tem que tirar esse peso o máximo possível, e não é responsabilidade apenas dos meninos. Eu com 35, 36 anos, com finais, sinto o peso também. É normal. Temos que tentar controlar mais esse peso de toda essa energia negativa que existe já de muitos anos atrás por não conseguir nenhuma taça", comentou Juanfran.

"Esse peso existe, para nós, para nossas famílias que estão sofrendo em casa quando não ganhamos. Temos que controlar esse peso, existe, é uma realidade, e toda pessoa que jogou futebol sabe que existe esse peso, ainda mais depois de estar na liderança com tantos pontos à frente do segundo. Agora, toda a pressão foi embora, porque já não estamos mais na liderança Estou convencido que se ganharmos sábado teremos uma perspectiva diferente", concluiu.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade