PUBLICIDADE
Logo do

São Paulo

Favoritar Time

Destaque do São Paulo, Calleri pode encerrar longo jejum de estrangeiros em artilharias do Brasileirão

Última vez que um jogador de fora do Brasil terminou competição na artilharia foi em 1972

22 mai 2022 07h16
ver comentários
Publicidade

Uma das principais apostas de Rogério Ceni para o clássico contra o Corinthians, neste domingo, o atacante do São Paulo Calleri briga para se tornar o primeiro artilheiro estrangeiro do Brasileirão desde 1972.

Calleri é o atual artilheiro da competição (Foto: Rubens Chiri/Saopaulofc.net)
Calleri é o atual artilheiro da competição (Foto: Rubens Chiri/Saopaulofc.net)
Foto: Lance!

GALERIA

> Veja quais são os 15 maiores públicos até a sexta rodada do Brasileirão 2022

TABELA

O camisa 9 do Tricolor paulista está isolado no topo do ranking de jogadores com mais gols na competição até o momento, com chance de quebrar esse tabu de 50 anos.

O último artilheiro estrangeiro do Brasileirão também jogava pelo São Paulo. Em 1972, o uruguaio Pedro Rocha, que vestia a camisa do Tricolor, dividiu o prêmio com Dadá Maravilha, do Atlético-MG, com 17 gols. Foi a última vez que um não-brasileiro terminou o campeonato liderando na artilharia.

Em duas oportunidades, um jogador bateu na trave de quebrar essa escrita: em1976, com o argentino Narciso Doval, pelo Fluminense, e em 2007, com o uruguaio Acosta, pelo Náutico.

Calleri foi eleito o melhor jogador do Brasileiro em abril. O argentino tem sua maior média de gols na carreira nesta segunda passagem pelo São Paulo. Já são 14 gols em 25 duelos, média de 0,56 por jogo.

No Brasileirão, já são seis marcados em apenas seis duelos, sendo três logo na estreia, na goleada por 4 a 0 sobre o Athletico-PR, um na derrota de 3 a 1 para o Flamengo, outro no triunfo de 2 a 1 sobre o Santos e mais um diante do Cuiabá, na última rodada.

Calleri destacou seu bom momento no Tricolor paulista e ressaltou o carinho que costuma receber da torcida, que sempre o ovaciona nos jogos com os gritos de "Toca para o Calleri que é gol".

- Estou muito feliz com o meu momento no São Paulo. Por onde passo, sempre me dedico ao máximo para ajudar os meus companheiros e o clube. Aqui, graças a Deus, as coisas sempre funcionaram muito bem e possuo ótimos números e uma identificação incrível com essa torcida, que sempre me deu tanto carinho - disse.

DESTAQUE EM CLÁSSICOS

Em clássicos, o jogador tem ótimos números também. Até o momento, o argentino participou de 13 duelos, com seis gols e uma assistência. Somente contra o Corinthians, foram quatro partidas, dois gols, uma assistência, três vitórias e apenas uma derrota.

Nesta passagem pelo Tricolor, foram três clássicos vencidos no Morumbi, com dois gols e uma assistência, sendo a última oportunidade na semifinal do Paulista.

Calleri também falou sobre o clássico deste domingo (22) e destacou que fará uma boa partida, mesmo com a dificuldade de enfrentar o grande rival, líder da competição.

- Clássico é aquele jogo em que todo atleta sonha disputar. E comigo não é diferente. Claro que toda partida do Brasileiro vale os mesmos três pontos, mas quando é um jogo contra um rival, a gente sabe que é diferente e que a torcida cobra de uma outra maneira. No domingo, teremos mais um jogo duríssimo, fora de casa, contra o líder do campeonato, mas também estamos bem na competição. Respeitamos muito o time deles, mas confiamos no trabalho que a gente vem fazendo e acredito que faremos uma boa partida - disse.

Calleri é o sétimo maior artilheiro estrangeiro da história do Tricolor, com 35 gols, somando as duas passagens pela equipe. Goleador do time no Brasileirão de 2021 e também na última edição do Campeonato Paulista, já disputou, ao todo, 72 jogos com a camisa do São Paulo.

A grande peça-chave de Rogério Ceni deve estar presente no clássico deste domingo (22), que será disputado às 16h, na Neo Química Arena. O Majestoso será válido pela sétima rodada do Brasileiro e é uma das grandes apostas para romper o tabu que acompanha o Tricolor em disputas na arena do rival.

Lance!
Publicidade
Publicidade