3 eventos ao vivo

Cuca pede calma após doping de Carneiro: 'A gente não pode fazer julgamento'

Técnico do São Paulo defende jogador uruguaio, que foi pego pelo uso de cocaína em exame feito em março

23 abr 2019
13h26
atualizado às 13h48
  • separator
  • 0
  • comentários

O técnico Cuca, do São Paulo, comentou nesta terça-feira a suspensão provisória por suspeita de uso de cocaína do atacante uruguaio Gonzalo Carneiro. "A gente não pode fazer julgamento. É um ser humano. Tivemos um caso aqui no São Paulo e é esperar. Vamos esperar a Fifa e depois falar com o Gonzalo. A vida é propensa a isso a todos os jovens, não só o Régis, o Gonzalo, não só aqui no São Paulo. Eu não entrei no mérito do que aconteceu com ele. Entrei no mérito do que é uma cidade grande, dos perigos. Agora é acolher", afirmou o treinador, em entrevista coletiva no CT da Barra Funda.

"É um tema delicado que a gente não pode hoje fazer qualquer julgamento sem antes saber o que aconteceu. Eu já estava sabendo na semana passada antes do jogador. Eu tenho filhos, ele tem 23 anos e ele está aqui em São Paulo no primeiro grande clube dele", comentou Cuca.

Gonzalo Carneiro chegou ao São Paulo em abril de 2018
Gonzalo Carneiro chegou ao São Paulo em abril de 2018
Foto: Erico Leonan/Divulgação / Estadão

O uruguaio foi pego em um exame feito após o clássico contra o Palmeiras no estádio do Pacaembu, em São Paulo, na fase de classificação do Campeonato Paulista, no dia 16 de março. O jogador tem até esta quarta-feira para pedir o exame de contraprova.

O treinador afirmou que percebeu boas e más atuações do jogador nos últimos dias. "Eu senti ele muito inseguro por estar em um clube grande. Ele não está à vontade. E isso mexe dentro de campo. Ele teve altos e baixos. Foi bem no pênalti da cavadinha, depois foi mal no outro jogo. Então senti muita insegurança. É uma pena que eu não pude conversar com ele antes. A gente não sabe se aconteceu mesmo", disse Cuca.

O empresário do jogador, Pablo Bentacur, afirmou que Carneiro cometeu um erro, mas não sabia o que estava consumindo. De acordo com o agente, o atacante passa por uma depressão. "O garoto cometeu um erro. A depressão é um assunto complicado. Não sabia o que ele consumia. Pensava que era um cigarro", afirmou em entrevista à rádio Sport 890, do Uruguai. Se for comprovado o doping, a suspensão varia de dois a quatro anos.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade