PUBLICIDADE
Logo do

São Paulo

Meu time

Ceni esclarece declaração polêmica envolvendo as torcidas de São Paulo e Flamengo

14 out 2021 22h59
| atualizado às 22h59
ver comentários
Publicidade

O retorno de Rogério Ceni ao São Paulo dividiu a torcida. Voltando ao clube sem uma grande aprovação, o ídolo tricolor perdeu pontos com muitos são-paulinos por causa da polêmica declaração envolvendo a torcida tricolor e a do Flamengo, quando ainda trabalhava no time rubro-negro. Mas, após a sua reestreia nesta quinta-feira, contra o Ceará, Ceni fez questão de esclarecer a situação.

"Quando estava no Flamengo, que é uma grande instituição e um ótimo lugar para trabalhar, clube que me propiciou ser campeão brasileiro da Série A e outros títulos, disse que o Rio de Janeiro é diferente de São Paulo. Em São Paulo a torcida é muito dividida entre os três grandes. No Rio de Janeiro tem mais de 700 favelas e é praticamente uma inserção social você vestir a camisa do Flamengo, você faz parte daquela comunidade, daquele grupo. O respeito que eu tenho ao Flamengo e a todos os outros times que trabalhei ou enfrentei não diminui o quanto eu gosto e me identifico com esse clube [São Paulo]", disse Ceni.

Na época em que estava à frente do Flamengo, Rogério Ceni deu a seguinte declaração: "Eu trabalhei no São Paulo por tantos anos e é um clube de massa, de presença de torcedor. Mas, aqui, assim, é uma atmosfera diferente, ser Flamengo você vê que é uma razão de vida".

Justamente por isso, a Independente, principal torcida organizada do São Paulo, se negou a gritar o nome de Rogério Ceni e também dos jogadores antes da partida contra o Ceará começar.

"Eu acho que a minha relação com o São Paulo é eterna e eu respeito. Se eu, durante 25 anos, deixei minha vida aqui dentro e ainda pode haver pessoas descontentes, eu lamento. Se o torcedor gritar ou não, estarei sempre próximo, respeitando, porque foi o torcedor que me sustentou e me colocou aqui durante esse tempo todo", afirmou Ceni.

"Para mim, é um prazer estar no clube que é minha casa, morei debaixo dessas arquibancadas por quatro anos. Acho que não tem problema nenhum com torcida organizada, todos me saudaram desde a minha chegada. Acho que com o passar do tempo, com os resultados… eu tenho o maior carinho e respeito pela Independente, pela Dragões, por todos", concluiu.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade