PUBLICIDADE
Logo do

São Paulo

Favoritar Time

Ceni avalia reforços, mas alerta: "Para brigar mais alto, precisamos de mais"

26 jan 2022 14h11
| atualizado às 15h59
ver comentários
Publicidade

O técnico Rogério Ceni ainda não está completamente satisfeito com o elenco que tem em mãos para a temporada de 2022. Nesta quarta-feira o comandante tricolor concedeu entrevista coletiva no CT da Barra Funda e indicou que ainda espera a chegada de mais nomes ao São Paulo, embora a diretoria tenha garantido que, provavelmente, o ciclo de contratações havia sido encerrado.

Nesta janela, o Tricolor contratou o lateral-direito Rafinha, os meias-atacantes Alisson e Nikão, o meio-campista Patrick e o goleiro Jandrei. Porém, o tão sonhado jogador de velocidade, que se destaque pelo drible e que atue pelos lados de campo, não desembarcou no Morumbi.

"Acho que os nomes que chegaram são todos bons jogadores. Nikão, Alisson, Jandrei, Patrick e Rafinha, que foi o primeiro a chegar, todos jogadores experimentados, que já demonstraram capacidade nos clubes onde jogaram. A gente se sente melhor, com mais opções que no ano passado. Em alguns setores ainda precisamos de reforços, esses jogadores que chegaram tinham contratos terminados ou prestes a chegar ao fim, porque a gente sabe que o clube atravessa grave crise financeira", ponderou Rogério.

"São boas contratações, mas, para brigar mais alto, precisamos de mais, e tenho certeza que a direção está tentando de todas as maneiras conseguir recursos para que a gente obtenha outras peças a mais no decorrer do ano", completou o treinador são-paulino.

Um atacante de velocidade e um zagueiro são as duas prioridades da diretoria para completar o elenco de Rogério Ceni. O clube, porém, só agirá no mercado caso surja uma ótima oportunidade. Luís Henrique, do Olympique de Marseille, e David, ex-Fortaleza, foram dois velocistas indicados pelo treinador do São Paulo, mas as tratativas não avançaram.

Desta forma, Ceni terá de adaptar o modelo de jogo às características do elenco e, enquanto isso, tentar lapidar algum jovem da base para que se transforme no atleta que tanto deseja ter no elenco.

"Muda-se um pouco o sistema, pretendo utilizar muito mais a linha de 4. Devido a não ter esse jogador de lado ainda, não ter contratado, nem desenvolvido algum jogador, talvez mude o sistema do 4-2-4. Pretendo trazer a força física dos atletas pra compensar contra times com mais opções, mais atletas, com mais qualidade. Por isso que jogadores como Alisson, Sara, Patrick, em forma, são importantes. A principal mudança desse ano pro ano passado talvez seja uma tendência maior em linha de 4 do que linha de 3", concluiu Ceni.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade