2 eventos ao vivo

Antony vê entrosamento dos 'Made in Cotia' como trunfo para vencer o Verdão

30 out 2019
08h18
atualizado às 08h18
  • separator
  • 0
  • comentários

Aos 19 anos, Antony precisou de pouquíssimo tempo para se tornar titular do São Paulo. Campeão da Copinha, o jovem atacante ganhou uma oportunidade de ouro no time profissional durante o Campeonato Paulista e não a desperdiçou, se tornando peça-chave de um setor ofensivo que carecia de suas características. Mas, o camisa 39 não foi o único garoto que fez sucesso no Estadual. Nesta quarta-feira, os jovens revelados em Cotia voltarão ao palco que os consolidaram na equipe de cima e tentarão, enfim, quebrar o incômodo tabu de o Tricolor jamais ter vencido no Allianz Parque.

Ao lado de Igor Gomes, Luan e Liziero, Antony foi destaque de uma equipe completamente desacreditada no início do ano. Contra o todo poderoso Palmeiras, não sentiu o peso da responsabilidade e colaborou de forma direta na classificação surpreendente do São Paulo à final do Paulistão, resultado que reforçou o Allianz Parque como um lugar nada hostil para o camisa 39, que guarda boas lembranças da casa alviverde.

Além de eliminar o milionário Palmeiras na semifinal do Campeonato Paulista, Antony também se sagrou campeão da Supercopa do Brasil sub-20 sobre o Verdão no Allianz Parque. Agora, a joia tricolor tem a missão de assegurar a primeira vitória são-paulina na arena do Palmeiras, algo que jamais aconteceu em oito Choques-Rei disputados desde a sua inauguração (sete derrotas e um empate).

"Graças a Deus, tenho boas atuações lá [no Allianz Parque]. Nas duas vezes que joguei lá, eu e o elenco pudemos ser felizes. Clássico é outra história. Eles têm camisa, mas a gente também tem. A gente sabe da qualidade que o Palmeiras tem, mas também sabemos da qualidade que nosso elenco possui. Como disse, clássico é cada um defendendo sua camisa. Vamos fazer de tudo para entrar em campo concentrados, com vontade, para dar tudo certo", afirmou Antony em entrevista exclusiva à Gazeta Esportiva.

Se no primeiro semestre Antony e seus parceiros da base conseguiram vencer um desafio tremendo, agora as perspectivas são ainda melhores. Com mais rodagem no profissional, o atacante, assim como Luan, Liziero e Igor Gomes, certamente entrarão em campo mais soltos e com o entrosamento ainda mais afiado nesta quarta-feira.

"Eu e o Igor [Gomes] nos conhecemos há um bom tempo. Se for ver, contra o Fortaleza e contra o Atlético-MG os gols que ele fez foram muito parecidos. É um jogador que me conhece, eu conheço ele também. Eu conheço a movimentação dele, ele conhece a minha. Então, isso facilita um pouco. Muito feliz de poder atuar ao lado dele e ver esse entrosamento crescer cada vez mais", prosseguiu.

O sucesso precoce de tantos garotos vindos da base é um fato. Mas, como atletas com pouca experiência no profissional conseguiram dar resultados significativos tão rapidamente, ainda mais em um clube tão pressionado por títulos?

"O elenco nos dá confiança, liberdade para jogar. É um elenco que abraça muito quem vem da base. Temos dado conta do recado graças à confiança do grupo, o que o grupo tem feito por nós. Liberdade, confiança que o grupo tem nos meninos da base e o entrosamento também. Eu, Liziero, Igor Gomes, Luan nos conhecemos há muito tempo e isso vem ajudando muito", completou.

Abaixo, você confere outros trechos da entrevista com Antony:

Início de trabalho de Fernando Diniz

O Diniz é um cara muito parceiro, no dia a dia sempre sorrindo, sempre ensinando, corrigindo. É um treinador que tem um espirito de vencedor sem comentários. Mas, os outros treinadores também deixaram algumas coisas importantes. O Diniz é um cara que está sempre conversando, mostrando vídeos, estratégias para a gente. É um treinador muito inteligente, que nos dá muita confiança, tranquilidade e liberdade para jogar.

Conversa com o treinador após ser substituído contra o Atlético-MG

O Diniz é um cara que cobra muito, a gente tem que entender e aceitar essa cobrança. Treinador tem que ser assim. Sou um menino que escuto muito, sou jovem ainda, tenho muito a aprender. Ele me abraçou ali, falou que queria me ver jogando cada vez mais, queria ver meu crescimento. É um cara que tem me ajudado muito, tem me dado muita confiança, liberdade para jogar, é um cara que está me ajudando muito aqui no São Paulo.

Confiança em alta após boa atuação contra Galo

Fico muito feliz com a atuação, com a assistência, mas é mérito do grupo também. A entrega do primeiro ao último minuto não faltou, muito feliz também pelo meu companheiro Igor, pelo gol que ele fez. Vencer em casa, antes do clássico, nos dá confiança. Agora é focar para que contra o Palmeiras a gente venha a fazer um bom jogo e, se Deus quiser, vai dar tudo certo.

Primeira temporada completa como jogador profissional

Muito feliz de poder completar esse primeiro ano como profissional do São Paulo. Um ano de muito aprendizado, de muito amadurecimento, venho aprendendo muito com os mais experientes, sempre escutando. A cada dia, a cada treino, venho aprendendo com eles, me dedicando, evoluindo passo a passo, com humildade sempre. Então, acho que esse ano pode ser resumido em amadurecimento.

'Escola' com Juanfran, Hernanes e Daniel Alves

A gente sabe da história que esses jogadores têm, a qualidade que eles têm, então são jogadores que sempre conversam comigo, passam um pouco da experiência, um pouco do futebol que eles já viveram e vivem até hoje. Venho aprendendo muito com eles, é uma honra estar do lado deles trabalhando, aprendendo cada vez mais.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade