PUBLICIDADE
Logo do

São Paulo

Favoritar Time

ANÁLISE: Com dedo de Ceni, São Paulo fez por merecer vitória contra o Cuiabá

Mudanças do treinador do Tricolor no segundo tempo mudaram o rumo da partida na vitória contra o Dourado pelo Brasileirão

16 mai 2022 07h26
ver comentários
Publicidade

O futebol é um jogo coletivo, mas em determinadas situações, as ações de uma pessoa podem mudar a história da partida. Na tarde de domingo no Morumbi, Rogério Ceni, através de suas substituições no segundo tempo, alterou a história do São Paulo no duelo e foi determinante para o time vencer o Cuiabá por 2 a 1 pelo Brasileirão.

Ceni leu bem a partida no segundo tempo (Foto: Rubens Chiri/Saopaulofc.net)
Ceni leu bem a partida no segundo tempo (Foto: Rubens Chiri/Saopaulofc.net)
Foto: Lance!

O treinador montou o Tricolor no 4-4-2 clássico que vem utilizando com o seu time titular. Dessa vez, Luciano começou entre os titulares e atuou como ponta de lança. Sem Nestor, Igor Gomes fez a dupla de meias com Pablo Maia, enquanto Alisson e Patrick caíam pelas beiradas.

Como era de se esperar, o time do Morumbi controlava a posse da bola, mas as verdadeiras chances de gol vinham em sua maioria através da bola parada. Foi assim que Arboleda carimbou o poste de Walter duas vezes.

Apesar do aparente domínio, o São Paulo oscilava demais no primeiro tempo. Tudo indicava que em algum momento, uma bola chegaria em boas condições para Calleri marcar, como também a sensação era que o Cuiabá poderia marcar a qualquer momento, e aconteceu.

Em um lance onde é difícil explicar os movimentos de Léo e Arboleda, Jenison aproveitou rebote e abriu o placar. O resultado parcial não traduzia o que foi a primeira etapa.

Para tentar colocar justiça no marcador, Rogério Ceni voltou com uma mexida ofensiva, sacando Pablo Maia para a entrada de André Anderson.

O camisa 28 não apenas ajudou na circulação de bola, como fez o time ser mais incisivo nas jogadas de ataque. Foi ele quem sofreu o duvidoso pênalti cometido por Marllon. E se não tocaram para Calleri, o próprio pegou a bola e converteu a penalidade, ampliando a boa fase.

Mas, como o camisa 9 disse na zona mista, a vitória no Morumbi era inegociável, e os paulistas se lançaram ao ataque. A situação ficou desfavorável ao Dourado quando Jonathan Cafu foi expulso após lance com Arboleda. E foi nesse momento que Rogério Ceni leu perfeitamente a partida.

Com um homem a mais e a torcida ao seu lado, ele colocou na partida Reinaldo e Rigoni, buscando explorar a vantagem númerica com jogadores mais dinâmicos no ataque. O lateral lançou o camisa 7, que driblou o marcador e chutou ao gol. A zaga não conseguiu afastar a bola, que se ofereceu a Nikão.

O camisa 10, no dia do aniversário de Raí, de um dos mais emblemáticos jogadores que usaram esse número no São Paulo, acertou belo chute colocado para superar Walter, que parecia ser intransponível até aquele momento.

E assim, com o dedo de Ceni e a superação dos jogadores em campo, o Tricolor conquistou três valiosos pontos no Brasileirão, e agora ocupa o terceiro lugar na competição.

Lance!
Publicidade
Publicidade