0

Santos está disposto a valorizar Sampaoli para segurar técnico em 2020

Ao Estado, presidente do clube, José Carlos Peres, diz que prevê propostas pelo treinador argentino ao final da temporada

16 nov 2019
04h40
  • separator
  • 0
  • comentários

O Santos tem contrato com o técnico Jorge Sampaoli até dezembro de 2020, mas isso não quer dizer muita coisa no futebol. Ofertas polpudas aparecem e seduzem profissionais a ponto de eles rasgarem documentos com suas assinaturas e negociarem saídas. A diretoria do Santos sabe que pode perder seu técnico após o Brasileirão. Para que isso não ocorra, o presidente José Carlos Peres está disposto a, ele mesmo, rasgar o contrato atual e aumentar o salário do argentino, ainda que isso não signifique garantia de prolongar o vínculo do treinador na Vila para além do fim do próximo ano.

Dobrar o que Sampaoli ganha parece inviável ao Santos nesse momento. Estima-se que ele receba R$ 600 mil por mês e, assim, seja um dos mais bem pagos do futebol nacional. Na seleção argentina, ele ganhava R$ 7 milhões por temporada. Portanto, os montantes se equivalem.

Ocorre que Sampaoli teve seu trabalho valorizado e o Santos acredita que ele terá propostas de clubes da Europa na virada do ano. "Temos contrato com o Sampaoli até o fim do ano que vem, mas sabemos que ele foi valorizado no mercado e que pode receber ofertas. Estamos preparados para segurá-lo", disse ao Estado Peres, no mesmo dia em que entregou pessoalmente uma placa a Pelé pelos 50 anos do seu milésimo gol.

O presidente contou que partiu dele a ideia de contratar Edinho, filho de Pelé, para as categorias de base do clube. "Ele fará cursos específicos e necessários para a carreira de treinador. Queremos que ele se aproxime de Sampaoli nesse momento", disse.

Peres afirma ter encontrado o Santos bastante bagunçado financeiramente quando assumiu o posto no lugar de Modesto Roma Júnior. Por isso se viu obrigado a atrasar salários e renegociar dívidas. Garantiu ao Estado, no entanto, que termina o ano com dinheiro em caixa na ordem de R$ 45 milhões. Daí sua certeza de poder segurar o treinador por mais 12 meses.

Nesse quesito, Sampaoli faz como todos os outros treinadores em alta. Aguarda o fim do ano para tomar uma decisão. Diz adorar a cidade de Santos, mas já se mostrou incomodado com algumas atitudes da diretoria. Sua preocupação é confirmar nas próximas rodadas a terceira colocação no Brasileirão e, consequentemente, a vaga direta para a Libertadores.

Peres nada disse sobre reforços para 2020, mas sabe que terá de oferecer algumas "cerejas" para Sampaoli, além do reconhecimento salarial. O treinador tem sinal verde para reformular o elenco e avaliar possíveis atletas santistas emprestados a outros times. Ele sabe que para enfrentar Flamengo e Palmeiras em 2020 o Santos precisará ser mais forte do que é.

Peres também confirmou, bastante animado, a possibilidade de a Vila Belmiro passar por uma grande reformulação ainda em sua gestão. De acordo com ele, a obra terá investimento de empresas privadas dispostas a gerir o estádio por tempo determinado em parceria com o Santos.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade