PUBLICIDADE
Logo do

Santos

Meu time

Gerente do Santos deixa futuro do atacante Marinho em aberto

Executivo do clube, André Mazzucco diz não existir plano pontual para o atleta, que tem contrato até fim de 2022 e já revelou desejo de sair

16 set 2021 15h30
| atualizado às 16h17
ver comentários
Publicidade

O gerente de futebol do Santos, André Mazzuco, deixou o futuro do atacante Marinho em aberto. O camisa 11 tem contrato com o clube até 2022, mas revelou desejo de sair para o futebol do Emirados Árabes. No momento, não existe qualquer conversa para a renovação do vínculo com o clube, conforme o próprio dirigente santista confirmou.

Marinho tem contrato com o Santos até o final de 2022 (Foto: Divulgação/Santos)
Marinho tem contrato com o Santos até o final de 2022 (Foto: Divulgação/Santos)
Foto: Lance!

"Marinho é um jogador muito importante para o clube, jogador valorizado no mercado e no Santos. É um cara que todo mundo gosta, tem contrato até o final de 2022 e vem de uma temporada muito boa no ano passado. Ele vem de uma temporada que teve dificuldades esse ano, com lesão e tal, isso mexe com o jogador e ele acabou se envolvendo em uma polêmica de uma live no Instagram. Nós tivemos uma reunião com ele, junto ao grupo também e está tudo resolvido. A gente quer o Marinho bem em sua plena forma podendo entregar aquilo que ele já entregou ao Santos", afirmou Mazzucco, deixando claro que o desempenho de Marinho será determinante para definir o futuro do jogador.

"A partir disso, temos mais uma temporada com ele que se for de interesse de todos vai ser conversado, assim como se no final do ano chegar algo vantajoso para o clube ou para o Marinho, para outros jogadores que estejam conosco isso sempre vai ser conversado. Não há um plano pontual para renovar com o Marinho depois de 2022 ou vender o Marinho, as coisas são consequências daquilo que a gente trabalhar. Hoje o Marinho é um atleta do nosso clube que a gente espera que ele entregue aquilo que já entregou pelo Santos e como ele está se esforçando para fazer", completou o executivo do clube.

Em live no Instagram com o jornalista Ademir Quintino na semana passada, o atacante reclamou de não ter sido vendido e nem valorizado com um plano de carreira após a recusa do Santos à proposta para contratá-lo. O jogador também falou sobre as propostas que o clube rejeitou após a Copa Libertadores. Ele citou saídas de jogadores importantes, como Luan Peres, Pituca e Soteldo.

"Eu perguntei sobre isso, mas falaram que não tem condição de aumento ou plano de carreira. Não falaram nada e eu disse para pensarem se chegar algo de fora. 'Me deixa respirar'. Sempre pedi um time que brigasse por título. Soteldo, Luan Peres, Veríssimo, Alison, Pituca… Vi todos saindo e eu não saio também? Mas agora a situação não está boa, então vou continuar. Cheguei pela porta da frente, na primeira divisão, e vou sair com o Santos na primeira divisão. Estou fechado até o fim do campeonato. E que o presidente pense a respeito disso. Não quero sair de graça, pela porta da frente, e respirar. Eu preciso", afirmou Marinho naquela ocasião.

"Eu continuo no Santos, até porque o presidente recusou todas as propostas. Falei para o presidente que estou feliz, mas tenho 31 anos e se for bom para o Santos… Hoje eu não posso falar que vou aposentar no Santos. Falei para o presidente que depois do Campeonato Brasileiro (de 2020) eu gostaria de almejar coisas para a minha vida deixando a porta aberta. E hoje vejo um clima chato, como se eu tivesse feito muita m… aqui", reforçou o atacante.

O presidente do Santos, Andres Rueda, explicou a situação aos torcedores em entrevista coletiva, confirmou ter recebido um pedido de Marinho para ser negociado, negou ter recebido propostas de Atlético-MG e Palmeiras e explicou por que não aceitou as propostas que chegaram pelo atacante dos Emirados Árabes. Após um período se recuperando de lesão,o atacante voltou a campo pelo time santista na derrota para o Athletico-PR por 1 a 0, na última terça-feira, na Vila Belmiro, pelo duelo da volta das quartas de final da Copa do Brasil.

"Quanto a questão de proposta de jogadores eu costumo separar muito bem para a torcida. Eu caracterizo sempre bem, você tem consultas sobre jogador, conversa sobre jogador e tem proposta formal sobre o jogador. No caso do Atlético-MG não teve consulta nenhuma a respeito, quando falo clube é no nome do presidente e eu não recebi nenhuma consulta do Atlético-MG. No caso do Palmeiras o que houve foi uma troca de conversas entre o presidente do Palmeiras e o presidente do Santos, uma conversa nada mais", afirmou Rueda, que em seguida confirmou a existência da oferta vinda do futebol árabe.

"O que a gente recebeu foram propostas vindo do Emirados Árabes, onde foi deixado claro tanto para o clube de lá quanto para o empresário que trazia as ofertas para o Marinho é que se a proposta atendesse o que o Santos pretendia a gente não iria atrapalhar a carreira do Marinho. Ele gostaria de ir para lá, inclusive, para ter uma remuneração melhor e o sonho do Marinho era esse: Emirados Árabes. Não é jogar no futebol brasileiro, na Europa ou Estados Unidos. Ele quer realmente ir para lá, isso foi conversado e nós falamos que se a proposta chegasse e fosse interessante para o clube e para você (Marinho), a gente vai fazer negócio. Infelizmente, chegou a primeira proposta, que não atendeu os interesses do clube, uma segunda e uma terceira que também não atendeu", completou o presidente santista.

Lance!
Publicidade
Publicidade