PUBLICIDADE
Logo do

Santos

Favoritar Time

Marinho faz transição, mas deverá desfalcar o Santos de novo

Recuperado de lesão, atacante fez trabalho físico nesta terça, mas tendência é a de que não jogue no sábado contra Cuiabá, na Arena Pantanal

31 ago 2021 18h15
| atualizado às 19h51
ver comentários
Publicidade

O treino do time do Santos, nesta terça-feira, no CT Rei Pelé, contou com a participação do novo contratado Emiliano Velázquez, mas não teve a participação do atacante Marinho, que fez trabalhos de transição com a equipe do departamento físico, mas ainda não deverá retornar ao time no jogo contra o Cuiabá, neste sábado, às 21h, na Arena Pantanal, pelo Campeonato Brasileiro.

Diniz abraça Marinho durante jogo do Santos; técnico espera por retorno de atacante
Diniz abraça Marinho durante jogo do Santos; técnico espera por retorno de atacante
Foto: Ivan Storti/Santos FC

O jogador perdeu as últimas partidas diante de Juazeirense, Chapecoense, Corinthians, Libertad, Fortaleza, Internacional e Flamengo, devido a um hematoma na coxa esquerda, e deve começar os trabalhos no campo nos próximos dias. Entretanto, a tendência é de que apenas a partir da próxima semana ele posso ficar à disposição do técnico Fernando Diniz para jogar. Assim, poderia encarar o Bahia, no dia 11 de setembro, na Vila Belmiro, pela primeira rodada do returno do Brasileirão. 

Já o zagueiro uruguaio Emiliano Velázquez realizou exercícios com bola, ao lado do restante do elenco nesta terça-feira. Ele é um dos cinco novos reforços santistas, mas ainda não tem condições para atuar, assim como o goleiro Jandrei. Apenas Augusto Galvan e Diego Tardelli já apareceram no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF. Léo Baptistão aguarda o envio da documentação pela Federação Chinesa de Futebol.

No Brasileirão, o Santos é apenas o 11º colocado, com 22 pontos, mesma pontuação do São Paulo, 12º pelos critérios de desempate. O time da Vila Belmiro acumula cinco vitórias, sete empates e seis derrotas. O saldo de gols é de menos quatro, pois o ataque fez 19 gols, enquanto a defesa sofreu 23.

Estadão
Publicidade
Publicidade