2 eventos ao vivo

Interino enaltece currículo e vê "não" de Martino ajudar em efetivação

28 jun 2013
18h33
atualizado às 18h40
  • separator
  • 0
  • comentários

O técnico interino do Santos, Claudinei Oliveira, enalteceu o próprio currículo nas categorias de base como critério de avaliação de sua possível efetivação. O comandante santista, que substituiu Muricy Ramalho, demitido há 28 dias, confessou ainda que o término das negociações entre o clube e o treinador Gerardo Martino, do Newell's Old Boys, pode ajudar em sua permanência para o restante temporada.

<p>Campeão da última Copinha, técnico Claudinei Oliveira segue interinamente no cargo desde a demissão de Muricy Ramalho</p>
Campeão da última Copinha, técnico Claudinei Oliveira segue interinamente no cargo desde a demissão de Muricy Ramalho
Foto: Pedro Ernesto Guerra Azevedo / Divulgação

"Se preferirem ficar com alguém que conheçam, é decisão da diretoria. Meu trabalho não é avaliado assim, apenas. Tenho história, títulos conquistados, campeonatos diferentes e penso dessa forma. Tenho currículo no clube que me credencia a estar aqui momentaneamente. Mas o Santos é maior que o Claudinei e que todos. A gente passa e o clube continua", argumentou.

"Acho que sim (ajuda na efetivação a desistência no Martino), mas tenho que trabalhar e mostrar o que sei. É algo natural, estão vendo o dia-a-dia, a minha forma de trabalhar sem nenhuma mudança drástica no ambiente", afirmou o treinador.

Claudinei assumiu o Santos no mesmo dia do anúncio da demissão de Muricy e dirigiu, até então, a equipe em três jogos no Campeonato Brasileiro, com retrospecto de uma vitória, um empate e uma derrota.

Na base, o técnico trabalhou em três categorias diferentes - sub-15, sub-17 e sub-20 - e ganhou notoriedade, principalmente, pela conquista da última Copa São Paulo.

O clube alvinegro confirmou nesta sexta-feira ter encerrado negociações com Martino, principal nome para substituir Muricy Ramalho desde a desistência oficial do clube em trazer Marcelo Bielsa do Athletic Bilbao, da Espanha.

O entrave foi o pedido de seis meses do treinador para assumir o cargo devido a problemas particulares. Tata Martino, como é chamado na Argentina, garantiu a dirigentes que priorizaria o Santos caso continuasse a trabalhar. A possibilidade, no entanto, é remota.

Depois de sacramentar a venda de Felipe Anderson para a Lazio, da Itália, pela qual deve receber cerca de R$ 11,5 milhões, o Santos priorizou a contratação de dois laterais e um atacante. O primeiro foi o lateral direito Cicinho, da Ponte Preta, que já tem um acerto com o clube e passa por exames médicos.

Fonte: K.R.C.DE MELO & CIA. LTDA – ME K.R.C.DE MELO & CIA. LTDA – ME
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade