0

Em alta no Brasileirão, Santos vê time feminino cair no Nacional e perder técnica

Emily Lima assumiu o comando do time feminino no início de 2018, acumulando um título do Paulistão e um vice da Libertadores

7 set 2019
12h19
atualizado às 12h19
  • separator
  • 0
  • comentários

Se no Campeonato Brasileiro o Santos comandado por Jorge Sampaoli hoje está em alta e se vê na luta direta pela liderança com o Flamengo, o time feminino do clube amargou nesta semana uma realidade bem diferente. Na terça-feira, a equipe foi eliminada nas quartas de final do Brasileirão e depois ainda perdeu a técnica Emily Lima, cuja saída foi oficializada pelo clube nesta última sexta.

"A direção do Santos Futebol Clube comunica que Emily Lima não é mais treinadora das Sereias da Vila. O clube agradece o profissionalismo da técnica durante o período em que comandou o Peixe e deseja sorte na continuidade de sua carreira. O auxiliar Guilherme Giudice assume o comando da equipe na sequência da temporada", informou o clube, por meio de um breve comunicado divulgado em seu site oficial.

O time alvinegro deu adeus ao Brasileirão Feminino ao ser derrotado pela Ferroviária nos pênaltis, no estádio Ulrico Mursa, em Santos, no confronto de volta das quartas de final. A equipe do interior paulista triunfou nas penalidades após vitória por 2 a 1 no tempo normal, devolvendo o mesmo placar obtido pelas santistas no jogo de ida, realizado no dia 14 de agosto, na Arena Fonte Luminosa, em Araraquara.

E a própria Emily Lima, ex-treinadora da seleção brasileira feminina, optou por pedir demissão mesmo depois de ter conduzido anteriormente o Santos a se classificar de forma antecipada às semifinais do Campeonato Paulista. O time encerrará sua campanha na segunda fase do Estadual neste sábado, às 11h, contra o São José, no Ulrico Mursa.

No fim das contas, a eliminação no Brasileiro acabou sendo apenas um último motivo que a comandante precisava para confirmar a sua saída, que ela mesmo havia admitido recentemente que poderia acontecer. A técnica vinha reclamando das condições de trabalho oferecidas ao Santos ao seu time feminino e alegava que a equipe não tinha o apoio suficiente que precisava receber da diretoria do clube.

Emily tinha assumido o comando do time feminino santista no início de 2018. E de lá para cá acumulou um título do Paulistão e um vice-campeonato da Copa Libertadores, ambos obtidos no ano passado. Ao total, ela dirigiu a equipe em 79 jogos, nos quais contabilizou 59 vitórias, 12 empates e oito derrotas, um aproveitamento de 80,7%.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade