0

Conselho Deliberativo do Santos vai se reunir na próxima semana e pode vetar contratação de Robinho

Órgão tem autonomia para invalidar o contrato do atacante, condenado por estupro em primeira instância na Itália

16 out 2020
17h18
atualizado às 17h45
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

A contratação de Robinho será um dos assuntos discutidos na reunião do Conselho Deliberativo do Santos, marcada para a próxima quarta-feira, 21. A repatriação do atacante, condenado em primeira instância na Itália por estupro, gerou repercussão negativa entre parte considerável dos torcedores.

Segundo o Estatuto Social do clube, o Conselho Deliberativo, que conta com cerca de 300 membros, é responsável por fiscalizar as ações da diretoria e tem autonomia para vetar a contratação. A reunião será realizada de forma virtual. Em dezembro será escolhido o novo presidente. O cargo hoje é ocupado por Orlando Rollo, que assumiu após o afastamento de José Carlos Peres.

Com isso, existe a possibilidade de Robinho sequer iniciar a sua quarta passagem pelo time alvinegro. Ele vem treinando com o elenco no CT Rei Pelé desde o início da semana e seu nome já apareceu no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF. Dessa maneira, o jogador está regularizado, mas ainda não pode estrear porque aguarda a decisão do Conselho Deliberativo.

Em 2017, Robinho foi condenado a nove anos de prisão em primeira instância na Itália pelo crime de estupro coletivo contra uma jovem de origem albanesa. O caso ocorreu em 2013, em uma boate em Milão, na Itália. Nesta sexta-feira, foram divulgados pelo globoesporte.com trechos de gravações realizadas com autorizações judiciais.

A defesa recorreu da sentença condenatória e ele responde em liberdade. Há mais duas instâncias na Justiça italiana até o trânsito julgado da ação. O caso será apreciado pela corte de apelação de Milão em dezembro. Os advogados afirmaram que ele é inocente, declararam que houve "equívoco de interpretação" em relação às conversas gravadas e se mostraram confiante de que a decisão seja revertida.

O clube vem sofrendo pressão dos patrocinadores após repatriar o atacante. A Orthopride já rescindiu o contrato de patrocínio na última quarta-feira e outras duas empresas já avisaram que também deixarão de apoiar financeiramente o Santos se a equipe mantiver o jogador no elenco.

Robinho foi anunciado como reforço no último sábado. Ele assinou um acordo válido por apenas cinco meses, até o final do Campeonato Brasileiro. Nesse período, se confirmado o acordo, o jogador receberá salários de R$ 1.500. O presidente Orlando Rollo saiu em defesa do atleta, bem como o técnico Cuca, que afirmou que ele é "uma excelente pessoa".

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade