1 evento ao vivo

Torcida da Ponte Preta entra em confronto com a PM após derrota em casa pela Série B

Revoltados com a situação da equipe, torcedores depredaram partes do estádio Moisés Lucarelli. Ninguém foi preso

28 out 2019
09h14
atualizado às 10h05
  • separator
  • 0
  • comentários

A derrota por 2 a 1 para o Vitória no Moisés Lucarelli, domingo, causou revolta entre torcedores da Ponte Preta. Um grupo de seguidores do clube de Campinas entrou em confronto com a Polícia Militar após a partida e causou muita confusão dentro do estádio. Assim que o árbitro Adriano Barros Carneiro apitou o fim do jogo, torcedores quebraram vidros do Salão Nobre do estádio, atirando pedras. Eles também tentaram invadir o vestiário.

Revoltados e armados com pedras e pedaços de pau, os torcedores conseguiram invadir a academia do Moisés Lucarelli. Usaram barras de ferro que estavam espalhadas pelo local para continuar a depredação. Apesar disso, nenhum torcedor foi preso ou ficou ferido.

Para dispersar os baderneiros, a PM precisou usar bombas de efeito moral e balas de borracha. A derrota para o Vitória, mesmo jogando com um jogador a mais desde os 25 minutos do primeiro tempo, praticamente acabou com as chances da Ponte Preta de brigar pelo acesso à elite. Na décima colocação, o time tem 41 pontos, sete a menos do que o quarto colocado Coritiba. Apenas os quatro primeiros sobrem para a Série A do Brasileiro.

O árbitro relatou os acontecimentos na súmula, o que pode causar punições ao time de Campinas. "Fui informado pelo delegado da partida, sr. Agnaldo Vieira, que após o término da partida, torcedores da equipe A.A. Ponte Preta invadiram a sala de musculação do estádio e quebraram a porta de vidro com o uso de um extintor de incêndio, sendo necessário a intervenção do policiamento com bombas de efeito moral para o controle da situação."

Além do desempenho fora de campo, o time também vive uma crise nos bastidores. Na semana passada, Eric Silveira entregou o cargo de diretor de marketing ao ser acusado de inúmeras irregularidades. Ele está sendo investigado.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade