PUBLICIDADE
Logo do

Ponte Preta

Meu time

Sem vencer há 179 dias, Criciúma elimina Ponte da Copa do Brasil nos pênaltis

Equipe de Campinas saiu à frente no placar já no segundo tempo, mas viu time catarinense igualar marcador

8 abr 2021 22h44
| atualizado em 9/4/2021 às 00h47
ver comentários
Publicidade

Apesar de ter atingido a marca de 179 dias sem vencer, o Criciúma tem motivos para comemorar nesta quinta-feira à noite. Isso porque, depois de ficar no empate por 1 a 1 no tempo regulamentar com a Ponte Preta, no estádio Heriberto Hülse, o time catarinense levou a melhor nos pênaltis, por 5 a 4, e avançou à terceira fase da Copa do Brasil.

Apesar da última vitória do Criciúma ter ocorrido no dia 11 de outubro do ano passado ainda na primeira fase da Série C do Campeonato Brasileiro, o time catarinense havia avançado na primeira fase da Copa do Brasil com um empate também por 0 a 0 com o Marília. Naquela etapa, por ter melhor colocação no ranking da CBF, avançou por conta do regulamento.

Mais do que seguir na briga pelo título, o Criciúma ganhou fôlego financeiro com a classificação em casa. Isso porque a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) pagará ao time catarinense a premiação de R$ 1,7 milhão por chegar à 3ª fase.

Agora, o time catarinense aguardará sorteio da CBF para conhecer o seu adversário na próxima fase da Copa do Brasil. Nesta 3ª fase entrarão os oito times da Copa Libertadores 2021, campeão da Série B de 2020, campeão da Copa do Nordeste de 2020, campeão da Copa Verde de 2020 e 9º colocado do último Brasileirão.

Na cidade de Criciúma, o primeiro tempo foi bastante movimentado, com a Ponte tendo um bom início e o Criciúma crescendo com o passar do tempo, apostando na transição entre o ataque e a defesa com velocidade.

Mesmo assim, foi o time paulista que criou a principal chance do primeiro tempo, já nos acréscimos. Aos 46, depois de um bate-rebate na área, a bola sobrou limpa para João Veras, mas mesmo de frente para o gol, acabou chutando para fora.

O placar só foi sair do zero no segundo tempo. Aos 14, Camilo bateu uma falta da lateral cheio de efeito. A bola passou por todo mundo e foi morrer no fundo das redes do goleiro Alison, colocando a Ponte em vantagem. Depois de algumas tentativas, o gol de empate do Criciúma saiu aos 27. Dudu cobrou escanteio na área, João desviou de cabeça e a bola sobrou para Phelipe Maia, que emendou um voleio e marcou um golaço.

Nos minutos finais, ambas as equipes foram para o tudo ou nada em busca da classificação e até criaram boas chances. Apesar disso, nenhum dos dois lados conseguiu voltar a balançar as redes e por isso, o duelo foi para as penalidades máximas. Nas cobranças, as duas equipes começaram convertendo. Porém, na segunda do time paulista, Vini Locatelli chutou por cima do travessão. A partir daí, ninguém mais errou e o Criciúma acabou vencendo pelo placar de 5 a 4.

No outro duelo desta quinta-feira, o Vila Nova levou a melhor sobre o Juventude na disputa de pênaltis, por 4 a 3. No tempo regulamentar, o marcador registrou empate em 1 a 1. O primeiro tempo ficou marcado por erro da arbitragem que marcou pênalti inexistente do zagueiro do Vila Nova, Nilson Júnior, em cima do atacante do Juventude, Matheus Peixoto logo aos dois minutos. Após muita reclamação, Eltinho foi para a cobrança e abriu o placar aos seis minutos.

Contudo, a reação do Vila Nova foi imediata e logo na saída de bola os goianos empataram. Aos sete, Pedro Bambu recebeu cruzamento na área e finalizou para o gol. A bola desviou em Eltinho, enganou o goleiro Marcelo Carné e foi parar no fundo das redes.

Estadão
Publicidade
Publicidade