0

Gabigol, Jesus, Soteldo e Taison nocauteiam o preconceito

O artilheiro do Brasileirão é negro, o melhor técnico do país é português e o craque santista é venezuelano

11 nov 2019
19h03
atualizado às 19h10
  • separator
  • 0
  • comentários

O negro Gabigol balançou a rede contra o Bahia e igualou Zico, o maior ídolo da história do Flamengo, em número de gols em um Campeonato Brasileiro. Provavelmente irá superar o Galinho, porque ainda tem mais seis jogos pela frente no Brasileirão.

Taison protesta contra ofensas racistas
Taison protesta contra ofensas racistas
Foto: Reprodução

O comandante do time que assombra o país com um futebol envolvente, retomando a tradição da arte brasileira com a bola nos pés, é português. Jorge Jesus, que tem como auxiliar João de Deus, já foi alvo da xenofobia de treinadores brasileiros enciumados e respondeu abrindo dez pontos de vantagem para o vice-líder Palmeiras.

Soteldo, o 10 santista, já foi desdenhado também por ter 1,60 m, mas principalmente por ser venezuelano. Calando os críticos e os afobados de plantão, o meia tem sido protagonista de belas jogadas e gols, como na última vitória do Santos sobre o Goiás por 3 x 0.

Taison decidiu dar um basta ao mostrar o dedo médio para torcedores racistas na Ucrânia, que infelizmente também dão as caras na Itália, na Rússia e no Brasil. Ele e Dentinho, outro alvo dos nazistas, deixaram o campo chorando. Até quando as Federações de futebol irão ser coniventes com os criminosos de plantão?

Cada um desses jogadores e técnicos estão nocauteando o preconceito e a xenofobia à sua maneira, mas precisam ter respaldo de quem comando o lucrativo mundo do futebol.

 

 

Paradinha Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade