PUBLICIDADE
Logo do

Palmeiras

Favoritar Time

Valdivia chora em recado para a torcida do Palmeiras depois de anunciar aposentadoria

Chileno revelou que estava pendurando as chuteiras na última semana e não escondeu a emoção por receber o carinho dos fãs alviverdes

4 jul 2022 - 18h08
(atualizado às 18h08)
Ver comentários

Jorge Valdivia se emocionou nesta segunda-feira em recado enviado especialmente aos torcedores do Palmeiras. O craque chileno anunciou sua aposentadoria do futebol na última semana e recebeu diversas mensagens de carinho de fãs. Aos 38 anos, Valdivia não retornará aos gramados e quer se dedicar à carreira de comentarista e, futuramente, à de treinador.

"Olá, família palmeirense! Anuncie que era o fim da minha carreira e é isso mesmo. Por isso quis fazer esse vídeo. Também quero agradecer", começou Valdivia com voz embargada. "Recebi muitas mensagens de vocês de amor, carinho, respeito e agradecimento. Na verdade, quem tem que agradecer sou eu. Cheguei em 2006 como um cara desconhecido e, mesmo assim, já senti o carinho de vocês", afirmou o jogador.

"Passamos juntos muitos momentos difíceis. Também vários momentos bons. É difícil falar... A emoção já vem, as lembranças, os momentos... Eu fico feliz e orgulhoso de fazer parte da história do maior campeão do Brasil. De coração, muito obrigado. Fico emocionado por todas as mensagens. Sempre as recebi, mesmo longe do clube. Quero que vocês saibam que fico muito orgulhoso de fazer parte dessa história. Muito obrigado", concluiu Valdivia, com lágrimas nos olhos.

Valdivia começou profissionalmente no futebol atuando pela Universidad Concepción, do Chile. De lá, partiu para a Europa, onde teve passagens fugazes por Rayo Vallecano, da Espanha, e Servette, da Suíça. Retornou ao Chile para atuar no Colo-Colo, voltando a ganhar destaque no mercado sul-americano.

Tratado como grande promessa, com 23 anos, em 2006, chegou ao Palmeiras. No começo, não teve muito espaço, mas aos poucos foi ganhando oportunidade e passou ao posto de estrela do time em 2007. Foi campeão paulista, em 2008, e em seguida negociado com o Al-Ain, dos Emirados Árabes Unidos.

Retornou ao Palmeiras em 2010, como uma contratação de peso para melhorar o humor do torcedor, fragilizado com a recente perda do Brasileirão. Ficou no clube alviverde até 2015, passando por altos e baixos. Foi rebaixado em 2012, mesmo ano em que foi campeão da Copa do Brasil. Faturou a Série B no ano seguinte e foi um dos responsáveis por ajudar o clube a não sofrer com nova queda no ano do centenário.

Em 2015, com o processo de reformulação do clube, sob a liderança de Alexandre Mattos - que se tornou um desafeto do chileno -, não teve seu contrato renovado após o Estadual. Desde então, voltou aos Emirados, para jogar no Al-Wahda, e mais tarde ao Colo-Colo. Nos últimos anos, acumulou passagens por Monarcas Morelia, Mazatlán e Unión La Calera. Na seleção chilena, disputou as Copas do Mundo de 2010 e 2014 e levou o país a seu primeiro título da Copa América, em 2015.

Estadão
Publicidade
Publicidade