PUBLICIDADE
Logo do

Palmeiras

Meu time

Saiba planos do Palmeiras para os jovens Gabriel Menino e Veron

12 mai 2021 22h35
ver comentários
Publicidade

Uma das principais preocupações do Palmeiras durante a maratona de jogos é com a condição física dos jovens atletas. Entre as Crias da Academia que costumam sofrer com lesões, estão Gabriel Veron e Gabriel Menino, que atualmente realizam trabalhos específicos com o núcleo de performance e saúde do Verdão. Coordenador científico do clube, Daniel Gonçalves detalhou os planos para os jogadores.

Primeiro, Daniel Gonçalves falou sobre Veron. O jovem atacante sofre com problemas físicos desde que subiu para o profissional alviverde, no fim de 2019. No início desta temporada, a joia palmeirense participou de uma preparação específica, voltando a atuar nas decisões da Supercopa do Brasil e da Recopa Sul-Americana. Após os duelos, no entanto, o garoto sentiu dores na coxa esquerda e não entrou mais em campo.

"A gente elaborou um planejamento para o Gabriel Veron. Nós temos cinco fases de reabilitação pós-lesão. A quinta fase, a última fase, é a de condicionamento. Na ocasião, diante da necessidade do Abel Ferreira e diante da importância dos jogos, que era contra o Defensa y Justicia e também o Flamengo, todo clube, direção de futebol, coordenação técnica e núcleo de saúde e performance, optou em diminuir um pouquinho essa fase cinco, de forma que ele pudesse estar à disposição para jogar parte desses jogos. A gente tinha pensado que pudesse jogar, pelos testes, pelo que ele havia feito. Seriam quinze minutos contra o Defensa e 15 minutos contra o Flamengo, trinta minutos no total. Mas a gente sabe que o jogo de futebol ele tem outras demandas, tem outras necessidades", explicou em entrevista ao canal "Análise Verdão".

"Ele acabou entrando trinta minutos contra o Flamengo, e a mesma coisa contra o Defensa. E a gente teve a infelicidade de ter um jogador expulso, que foi o Matías Viña. Infelizmente, com o tempo curto de recuperação e com uma exigência alta da partida, demanda emocional e física também, ele acabou sendo exigido mais do que a gente havia planejado. No jogo, muitas das vezes a gente não controla essas situações. Infelizmente perdemos os jogos e perdemos o Gabriel com uma nova lesão", completou.

Daniel Gonçalves também lembrou que Gabriel Veron tem apenas 18 anos e ainda está em processo de formação. Por conta disso, o coordenador enxerga a necessidade de mais atividades físicas específicas para o atleta.

"A gente já tinha verificado uma necessidade de trabalhos musculares específicos, tendo percebido uma assimetria. Ele é um atleta muito rápido, muito potente, então ele atinge facilmente velocidade de trinta e seis, trinta e sete quilômetros por hora, que é compatível com os principais velocistas do mundo. O Mbappé, atinge essas velocidades. Só que a gente percebe que o Gabriel, por conta dessas lesões do passado, precisa ter um maior tempo de treinamento, que a gente chama de lastro, de forma que a gente possa adquirir um ritmo de treinamento compatível com a categoria profissional. Ele é um atleta em formação, ainda de 18 anos. Sempre jogou muito na na base, defendendo as cores palmeirenses ou defendendo a Seleção Brasileira. Então, ele precisa agora, diante desse processo, ter um treinamento de base. Ele está praticamente recuperado, só que a gente vai ser ainda bastante conservador com ele, não vai estabelecer prazo, de forma que a gente tenha ainda segurança pra colocar em campo na na próxima ocasião", afirmou.

Gabriel Menino, por outro lado, não está lesionado. O coordenador científico do Palmeiras garantiu que o camisa 25 está totalmente recuperado de uma entorse sofrida no tornozelo direito em fevereiro e ainda revelou a razão pela qual o jogador deixou de estar à disposição do técnico Abel Ferreira nos últimos jogos.

"Houve uma reunião da direção de futebol, da coordenação técnica, do Abel e também do núcleo de saúde e performance para que fizéssemos um trabalho especial com o Gabriel Menino. Ele via a necessidade ainda de recobrar uma algumas questões físicas específicas. Não médicas, não clínicas. A gente sabe que todo atleta que se recupera lesão volta normalmente a jogar com alguma outra situação, mas nunca com impedimento, a incapacidade. Ele estava plenamente recuperado, muito pelo esforço dele, outra pelo esforço da fisioterapia. Ele fez uma fisioterapia acelerada. Teve uma entorse no treinamento e tinha um prazo de três a quatro semanas, e ele conseguiu recuperar em menos de duas, a ponto de ficar à disposição do jogo contra o Flamengo, na final da Supercopa do Brasil. Então ele cumpriu as quatro fases de recuperação", disse.

"A quinta fase é específica, teria que ser feito paralelamente ao processo de jogo, mas o atleta estava se queixando de falta de confiança ainda, de ritmo. Para bater na bola incomodava, não gerava dor, mas gerava incômodo. Então, para ter o atleta na plenitude, optamos que ele tirasse pelo menos dez dias de treinamento específico, de forma que se recondicionasse. Ele não ficou fazendo fisioterapia. A fisioterapia feita com ele é feita como com outros atletas que se recuperaram de lesão e outros que fazem fisioterapia preventiva. Nesse período, ele não parou, ele ficou trabalhando de maneira específica na academia, fazendo trabalho de potência, e agora no campo, visando essa preparação especial. Não houve nenhum tipo de situação de colocar o Gabriel Menino no sacrifício, nada disso, pelo contrário. Ele estava recuperado, mas a gente optou até pelo atleta prolongar um pouquinho essa condição de preparação física. Pelas avaliações, percebemos que era necessário que o atleta ganhasse confiança e voltasse no nível próximo de performance que ele tava desempenhando no ano passado", complementou.

Apesar de não estar lesionando, Gabriel Menino não tem prazo para voltar a ser utilizado pelo Palmeiras. Segundo Daniel Gonçalves, o retorno da promessa alviverde deve ser em breve.

"Ele vem dando bons feedbacks, vem sentindo mais confiante, mais apto. Ele já está sendo inserido aos trabalhos de bola com o grupo. A gente não traça uma meta, procuramos avaliar dia a dia, até para o cumprimento das etapas. Mas tem bom prognostico para que a gente consiga utilizá-lo em breve e numa condição superior a que ele estava, principalmente nessas questões de confiança. Esse tempo de preparação vai ser bom, até porque o Gabriel Menino foi um atleta que não teve férias. Ele, como o Patrick de Paula, são atletas que ficaram direto. Esse período vai ser bom pra que ele faça uma espécie de pré-temporada", concluiu.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
Publicidade
Publicidade