1 evento ao vivo

Gabriel Menino quer ser ídolo do Palmeiras e vê Libertadores como forma de atingir objetivo

27 jan 2021
08h18
atualizado às 08h18
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O clima no Palmeiras já é de decisão. No sábado, o Verdão encara o Santos pela final da Libertadores, às 17h (de Brasília), no Maracanã. O clássico pelo torneio continental será ainda mais importante para Gabriel Menino, que, logo em seu primeiro ano como profissional, já se tornou um dos pilares da equipe de Abel Ferreira.

Em entrevista ao perfil da Conmebol no Spotify, o camisa 25 alviverde falou sobre ansiedade de disputar a final da Libertadores e como tem sido a preparação para o confronto.

"Acho que para mim, e para todos os jogadores, é um sonho estar aqui disputado minha primeira final de Libertadores. Tenho certeza que vai ser um grande espetáculo para todo o mundo e todo o Brasil. Eu só estou com pensamento positivo, darei o meu melhor, assim como a equipe, para sermos campeões e deixar nosso nome na história do clube e nesse campeonato maravilhoso que é a Libertadores", disse.

Polivalente, Gabriel Menino tem apenas 20 anos e não era nem nascido quando o Palmeiras faturou sua primeira e única Libertadores, em 1999. Mesmo sem ter presenciado o título, o garoto sente a emoção da conquista através das fotos presentes nas instalações do clube.

"Você olha para as fotos que estão no clube, no estádio, e se imagina lá também. É um incentivo a mais, o Palmeiras é um dos maiores clubes do Brasil e do mundo. Quem não quer deixar seu nome na história e ser ídolo de um clube enorme do futebol brasileiro? Deixar uma marca e ter reconhecimento dos torcedores palmeirenses pela vida toda?", afirmou.

Menino também falou sobre a partida que garantiu o Verdão na decisão do torneio continental. Após vencer por 3 a 0 na Argentina, o Palmeiras passou por um sufoco no Allianz Parque e perdeu por 2 a 0 para o River Plate. Para o lateral direito e meia do Verdão, faltou calma para a equipe avançar à final com mais tranquilidade.

"Acho que faltou mais concentração. Por termos feito 3 a 0 lá na Argentina, a gente voltou para o Brasil achando que ia ser um jogo igual, calmo e tranquilo, que eles iriam vir com tudo e dariam mais espaço para a gente, mas não foi assim que aconteceu. Faltou mais concentração dos nossos jogadores. Faltou também um pouco de calma para tomar decisões certas, que a gente não passasse por esse sufoco que foi para chegarmos na final da Libertadores", opinou.

Apesar da partida ruim em São Paulo, Menino exaltou a atuação palmeirense no confronto de ida. O camisa 25 foi um dos principais destaques, sendo elogiado até pela Fifa.

"Sobrou vontade, sobrou raça. Cada um ali estava com um objetivo, com gana e com um único pensamento, que era vencer a todo o custo. Não importa quem estaria lutando contra a gente, estávamos dispostos a vencer, por mais difícil que fosse. Graças a Deus pudemos sair vitoriosos e estamos em uma final de Libertadores",

Por fim, Gabriel Menino ainda falou sobre a nostalgia em estar na Libertadores. O atleta relatou ter lembrando de memórias da infância um dia antes da vitória sobre o River Plate e destacou o caminho do Palmeiras até a decisão.

"Um dia antes, você começa a olhar lá para trás, que aquele campeonato você via pela TV. Cada jogo, cada chute na bola era com raça, emoção, com a torcida vibrando. Hoje, infelizmente, não podemos estar com torcida, mas a gente imagina lotado. Tudo bem que seria contra nós, mas estaria lotado, e isso também nos incentiva e nos motiva. Acho que me preparei muito bem na semana, só tinha um pensamento positivo, que era vencer. Foi muito difícil chegar onde a gente chegou, por mais que as pessoas critiquem e falem que a gente pegou moleza. Não foi, só a gente sabe. Quem torna fácil é a gente, nós damos o nosso melhor, damos aquele algo a mais", afirmou.

"Aquela partida foi uma das melhores da minha carreira, se não foi a melhor. Desde a primeira entrevista que eu dei, eu falei que iria deixar meu nome na história desse clube e queria me tornar ídolo. Para isso, precisaria vencer aquele jogo, e graças a Deus pudemos sair vitoriosos, e eu pude fazer uma partida excelente", completou.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade