PUBLICIDADE
Logo do

Palmeiras

Favoritar Time

Em depoimento, jogadores do Palmeiras e PMs dizem que viram torcedor do São Paulo com faca

Atletas e policiais que entraram no gramado confirmaram que viram são-paulino com faca; caso pode ser tratado como tentativa de assassinato

23 jan 2022 14h06
| atualizado às 14h52
ver comentários
Publicidade

A Polícia Civil de Barueri vai usar imagens da transmissão de TV da vitória do Palmeiras sobre o São Paulo por 1 a 0 na noite de sábado (22), pelas semifinais da Copa São Paulo de juniores, para confirmar o depoimento de dois jogadores do Verdão e indiciar dois torcedores do Tricolor detidos por invadirem o gramado no final do jogo. Se atestado que estavam armados com a faca encontrada no gramado, poderão responder até mesmo por tentativa de assassinato.

Momento em que são-paulinos invadiram o gramado da Arena Barueri (Reprodução Twitter)
Momento em que são-paulinos invadiram o gramado da Arena Barueri (Reprodução Twitter)
Foto: Lance!

Tão logo o jogo terminou, os palmeirenses Ian e Lucas Freitas foram ouvidos no Jecrim (Juizado Especial Criminal) da Arena Barueri e disseram que viram um dos são-paulinos invasores com a faca apreendida pela arbitragem.

Os policiais militares que estavam no gramado do estádio atestaram a versão dos jogadores alviverdes e contaram que viram o acusado soltar a arma branca "assim que se aproximaram."

As informações constam no boletim de ocorrência repassado à Delegacia Sede da cidade, onde o caso será apurado inicialmente.

Os atletas do Verdão aparecem como vítima no inquérito aberto. E não está descartada a convocação de jogadores do Tricolor para prestarem depoimento nos próximos dias.

Segundo o que o LANCE! apurou, somente dois dos quatro detidos permaneciam presos até a publicação desta reportagem. Seus nomes não foram revelados. Um deles teria antecedente criminal por briga em estádio. Eles passarão por audiência de custódia na manhã de segunda-feira (24) para decidir se permanecerão encarcerados. Há possibilidade de responderem em liberdade.

Os outros dois averiguados pela PM estavam com um dos acusados no momento da detenção, nas arquibancadas, foram ouvidos e liberados.

A dupla confessou a invasão alegando estarem "revoltados com o resultado", mas nega o porte da faca. Mesma versão dada pelos outros dois averiguados, que completaram dizendo que tentaram impedir os amigos de invadirem o gramado.

A reportagem não conseguiu contato com os advogados dos acusados até a publicação desta reportagem. A polícia também não revelou se eles pertencem a uma torcida organizada.

O árbitro da partida, Matheus Delgado Candançan, relatou na sumula do jogo que encontrou a faca no gramado da Arena Barueri após torcedores são-paulinos nas arquibancadas atirarem objetos ao campo.

No documento, Candançan, que deu sequência ao jogo mesmo depois da invasão, cita ainda três invasores. É mais um ponto de divergência com o que foi falado pela PM.

O L! apurou que a Corregedoria da PM em Barueri já abriu procedimento administrativo interno para averiguar a conduta dos integrantes da corporação no momento da revista de entrada no estádio. O objetivo do órgão é saber como foi possível a entrada de uma faca com um torcedor.

Por meio de nota, a FPF (Federação Paulista de Futebol) disse que "repudia veementemente as lamentáveis cenas" e que "cobrará das autoridades que os criminosos travestidos de torcedores que praticaram tais atos sejam punidos com o maior rigor da lei e permaneçam afastados dos estádios."

Também por meio de sua assessoria, o São Paulo informou que "repudia veementemente qualquer ato de violência e espera que os culpados sejam responsabilizados pela polícia."

O Palmeiras disse que não se manifestará sobre o ocorrido.

Lance!
Publicidade
Publicidade