0

Danilo lamenta saída de Ramires e comemora 'fama' com titularidade no Palmeiras

Promovido das categorias de base neste ano, volante de 19 anos destaca aprendizado no clube

30 nov 2020
13h31
atualizado às 13h31
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator

O volante Danilo, do Palmeiras, revelou nesta segunda-feira que vive um momento muito especial na carreira. Aos 19 anos e ainda no primeiro ano como profissional, o titular do clube ainda se estranha com o reconhecimento da torcida. Após ser promovido e estrear pelo time apenas em setembro, os pedidos por foto na rua e o carinho dos palmeirenses ainda lhe causam surpresa.

"Depois dessa sequência que tive, as pessoas agora pedem para tirar foto quando me veem na rua. Foi um impacto muito grande para mim e meus familiares isso tudo", disse o jogador em entrevista coletiva. Baiano de Salvador, Danilo foi descoberto pelo Palmeiras em 2018 enquanto jogava a segunda divisão do Estadual. No início deste ano o jogador ainda disputou a Copa São Paulo de Futebol Júnior e logo depois acabou promovido.

Danilo tem jogado com regularidade sob o comando do técnico português Abel Ferreira. A lesão do volante Felipe Melo abriu um espaço no time e o novato tem aproveitado. "Ter a oportunidade é muito bom para a gente da base, sempre foi um sonho nosso. Estamos trabalhando no dia a dia e podemos evoluir a cada dia e a cada jogo. É matar um leão por dia", afirmou. "Venho evoluindo e tentando desfrutar o máximo dos treinos. Os jogadores experientes também vêm me passando bastante informação", disse.

Um dos atletas do elenco que costumava ajudar Danilo nos treinos era o meia Ramires. Na última semana o clube e o experiente jogador rescindiram contrato, uma decisão que frustrou o volante novato. "O Ramires me ajudou bastante. Foi triste a saída dele. É um cara reconhecido no Brasil e no mundo, ganhou Liga dos Campeões e jogou Copa. Foi um baque muito grande (a saída). Foi muito importante para mim conhecer ele", comentou.

O garoto elogiou também o trabalho do treinador português, em especial a alta exigência nos treinamentos. "São bons treinos e bastante intensos. A intensidade que ele pede no treino é a mesma que pede no jogo. Ele sempre pede 100% (no dia a dia) para nos jogos darmos o máximo para sairmos com a vitória", explicou.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade