PUBLICIDADE
Logo do

Palmeiras

Meu time

21 maior que o 12? Weverton supera Marcos em vitórias e títulos pelo Palmeiras na Libertadores

Atual goleiro do Verdão constrói história ainda mais vencedora que o Santo na competição continental. Líder do elenco, arqueiro torna-se bicampeão como protagonista

28 nov 2021 05h35
| atualizado às 05h35
ver comentários
Publicidade

O Palmeiras conquistou o tricampeonato da Libertadores, neste sábado (27), ao derrotar o Flamengo por 2 a 1 no Estádio Centenário, em Montevidéu. Um dos principais personagens do título, o goleiro Weverton venceu o torneio pela segunda vez e superou o ídolo Marcos em números de taças da Copa.

Goleiro Weverton é bicampeão da Libertadores pelo Palmeiras (Foto: Juan Mabromata / AFP)
Goleiro Weverton é bicampeão da Libertadores pelo Palmeiras (Foto: Juan Mabromata / AFP)
Foto: Lance!

Além disso, o atual defensor da meta alviverde também já havia ultrapassado o número de vitórias do ex-goleiro do Verdão na competição. Então, a dúvida que fica é: o 21 é maior que o 12?

Trajetórias distintas

Marcos surgiu na base no Lençoense, time do interior paulista, e foi contratado pelo Palmeiras em 1992. Embora tenha iniciado a formação em outra equipe, seu desenvolvimento como atleta deu-se na famosa Academia de Goleiros do clube. Apesar de ter estreado no ano de sua contratação, somente em 1996 voltou a atuar pelo time principal, temporada em que tornou-se reserva imediato.

A trajetória na titularidade, por sua vez, começou apenas em 1999, quando assumiu o posto para conduzir o Palmeiras ao primeiro título da Libertadores. A partir daí, ocupou a meta alviverde por mais de dez anos consecutivos. Passou pela Seleção Brasileira, recusou propostas da Europa mesmo em meio à Série B e se consagrou e como um dos maiores ídolos da história do clube, além de ganhar o apelido de Santo.

Se Marcos atuou apenas pelo Verdão no profissional, Weverton passou por sete times antes de chegar ao Maior Campeão Nacional. Descoberto no Juventus, do Acre, foi para a base do maior rival do Verdão, o Corinthians, ainda jovem. Após empréstimos, duas temporadas na Portuguesa e transferências para times de menor relevância, estabeleceu-se no Athletico-PR.

O goleiro virou destaque da equipe paranaense e chegou à Seleção Olímpica, para substituir Fernando Prass e ajudar o Brasil a conquistar o ouro inédito. Foi contratado pelo Palmeiras em 2018, sob certa desconfiança da torcida, mas se provou durante a campanha campeã do Brasileirão daquela temporada. Em quatro anos no clube, conquistou cinco títulos, sendo duas Libertadores, e construiu uma grande idolatria.

Comparação em números

No Verdão entre 1992 e 2011, Marcos somou 257 vitórias, 146 empates e 130 derrotas em 533 jogos com o manto palestrino. É o sétimo jogador com mais partidas disputadas e o décimo com mais triunfos conquistados. No estádio Palestra Itália, ele lidera os dois quesitos, com 212 jogos e 135 vitórias.

Pela Libertadores, ocupa a ponta no número de duelos (57), mas fica atrás apenas de Weverton em relação às vitórias (28).

O atual goleiro do Palmeiras contabiliza, no geral, 205 jogos. Neste período, o atleta sustenta a terceira menor média de gols sofridos da história do clube.

Além disso, é o recordista de mais partidas sem ser vazado em uma temporada com 35 em 70 oportunidades. Números que contribuem também para ser o arqueiro com mais jogos sem sofrer gols pelo Alviverde no século 21.

É fato que Marcos e Weverton carregam uma enorme idolatria da torcida do Palmeiras. Com diversas conquistas e uma história de identificação, construíram - o camisa 21 segue construindo - um legado no clube. Mas, e para você, quem é maior?

Lance!
Publicidade
Publicidade