0
Logo do Seleção da Nigéria
Foto: terra

Seleção da Nigéria

Mikel dita o ritmo, Nigéria bate Dinamarca e encara Alemanha

13 ago 2016
18h00
atualizado às 18h48
  • separator
  • comentários

A Nigéria confirmou seu favoritismo e não teve muitos problemas para superar a Dinamarca na Fonte Nova, em Salvador, na noite deste sábado. Sob regência do veterano Obi Mikel, os africanos fizeram 2 a 0, um gol em cada tempo, e confirmaram a semifinal do futebol masculino nos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro contra os alemães, que mais cedo eliminaram Portugal, em Brasília. Na próxima quarta-feira, a Arena Corinthians, em Itaquera, receberá o duelo entre Nigéria e Alemanha a partir das 16 horas (horário de Brasília).

Foto: Edson Ruiz/Coofiav / Gazeta Press

Medalha de ouro na Olimpíada de 1996, nos Estados Unidos, e prata em 2008, na China, a seleção nigeriana já sabe que vai disputar no mínimo o bronze no Rio. Mas, neste sábado, o bom futebol apresentado mostrou que os europeus terão trabalho na próxima fase. A Nigéria foi melhor durante todo o jogo frente aos dinamarqueses.

O grande destaque foi Mikel, camisa 10 e capitão do time. Jogador do Chelsea, da Inglaterra, desde a temporada 2006/2007, o meia-atacante de 29 anos abriu o placar com 15 minutos de bola rolando. A frágil equipe da Dinamarca perdeu a posse na saída de bola e abriu brecha para o contra-ataque fatal. Ezekiel fez a jogada individual pela esquerda e cruzou rasteiro para Mikel bater de primeira para o fundo do gol.

Dona de três medalhas de prata em jogos Olímpicos (1908, 1912 e 1960) e um bronze (1948), a Dinamarca só chegava com perigo em bolas paradas ou por meio de lançamentos e ligações diretas. Mesmo assim, Nielsen ainda assustou em um lance despretensioso com um belo chute de longa distância que parou no travessão nigeriano.

Mas, foi só. O duelo foi definido logo aos 13 minutos da etapa final. Depois de cobrança de escanteio de Mikel, Umar se antecipou ao goleiro e, no meio da confusão, desviou para as redes. 2 a 0 e placar definido logo cedo.

Como é de costume, com a vantagem no placar, os nigerianos buscaram lances de efeito, dribles sem muita objetividade e, assim, administraram o resultado até o apito final, já que a Dinamarca em nenhum momento apresentou forças para reagir. Desta forma, se despede das Olimpíadas no Brasil nas quartas de final, com apenas um gol marcado.

Gazeta Esportiva Gazeta Esportiva

compartilhe

comente

  • comentários
publicidade
publicidade