PUBLICIDADE

Zarco bate Mir em final agitado e crava pole em classificação de muitas quedas em Portugal

Johann Zarco fez tudo certo em sua última volta ao anotar 1min42s003 e ficar com a pole-position da MotoGP em Portugal

23 abr 2022 10h58
| atualizado às 11h34
ver comentários
Publicidade
Johann Zarco conquistou sua sétima pole
Johann Zarco conquistou sua sétima pole
Foto: Gold & Goose/Red Bull Content Pool / Grande Prêmio

Depois de um Q1 repleto de quedas, a disputa foi intensa na briga pela pole-position no Q2. Marc Márquez confirmou o bom desempenho da Honda no Algarve e quase ficou com a posição de honra, mas a volta voadora foi cancelada já que Pol Espargaró, companheiro de equipe, causou bandeira amarela. Assim, Johann Zarco aproveitou os últimos segundos, anotou 1min42s003 e vai largar da primeira posição no GP de Portugal.

Joan Mir e Aleix Espargaró — que tentaram roubar a pole de Zarco no finalzinho — vão partir da primeira fila. Jack Miller e Fabio Quartararo aparecem na quarta e quinta colocações, respectivamente.

PRÉVIA MOTOGP

Johann Zarco é pole em Portugal
Johann Zarco é pole em Portugal
Foto: Divulgação/MotoGP / Grande Prêmio

ASSISTA

Marco Bezzecchi, Álex Márquez, Luca Marini estão atrás. A Honda vê seus dois pilotos fechando o top-10, com Marc Márquez e Pol Espargaró na nona e décima posições.

A preocupação ficou por conta de Francesco Bagnaia, que sofreu uma queda no Q1 e precisou ser levado ao centro médico para ser examinado por conta de dores no braço direito. O italiano foi levado ao hospital para realização de mais exames.

A largada da MotoGP para o GP de Portugal, em Portimão, acontece no domingo, às 9h (de Brasília). O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades da quinta etapa do Mundial de Motovelocidade 2022.

Oliveira amassa tempo de Miller e comanda TL4 de pista secando em Portimão

Desde o fim da classificação da Moto3, a chuva deu uma trégua, mas a pista ainda não estava completamente seca. Quando a MotoGP iniciou o TL4, a temperatura tinha subido para 16°C, com o asfalto chegando a 21°C. A umidade relativa do ar era de 78%, com o vento soprando a 16 km/h.

Takaaki Nakagami abriu a sessão no topo da folha de tempos, 0s498 à frente de Francesco Bagnaia. Johann Zarco, Jorge Martín e Franco Morbidelli vinham na sequência.

Jack Miller foi a 1min51s897 e avançou para a liderança, 0s490 melhor que Zarco. Miguel Oliveira apareceu em terceiro, escoltado por Nakagami e Maverick Viñales. Fabio Quartararo também tinha conseguido melhorar e agora era o sexto.

Com as condições de pista para lá de traiçoeiras, Enea Bastianini e os irmãos Álex e Marc Márquez ficaram nos boxes, esperando melhora nas condições. O céu azul era um bom indício de melhora nas condições, mas um asfalto secando é sempre um risco a mais.

Wild-card da Aprilia, Lorenzo Savadori sofreu uma queda no início da sessão, mas escapou de lesões maiores.

Depois de alguns minutos, Marc Márquez entrou na pista para tentar escalar na tabela. Enquanto isso, Mir avançou para a segunda colocação, só 0s017 atrás de Miller. Viñales também foi melhor e se instalou em terceiro, seguido por Oliveira, Zarco e Bagnaia em Portugal.

Quartararo apareceu pouco depois, usando um par de pneus médios de chuva, para registrar 1min51s854 e saltar para a primeira posição, 0s019 melhor do que Bagnaia, que também passou Miller para ser o segundo colocado. Mir vinha em quarto, diante de Viñales e Oliveira.

Jack não tardou em reagir e retomou o comando do TL4 ao anotar 1min51s554, 0s300 melhor do que Quartararo. Quem também avançou foi Bezzecchi, que subiu para a quinta posição, 0s392 distante do líder.

Com poucos segundos ainda no relógio, Oliveira baixou para 1min50s750 e tomou a primeira colocação, 0s804 mais rápido do que Miller. Bezzecchi recebeu a bandeirada em terceiro, diante de Morbidelli, que também melhorou na última volta.

Ao fim dos 30 minutos de sessão, Oliveira ficou com a liderança, diante de Miller, Bezzecchi, Morbidelli, Quartararo, Bagnaia, Mir, Pol Espargaró, Viñales e Zarco. Rins foi 11º, à frente de Marc Márquez, Nakagami, Álex Márquez e Brad Binder. Enea Bastianini foi apenas 19º.

Álex Márquez e Marini avançam ao Q2 em Q1 de muitas quedas. Bagnaia se machuca

Depois de um fim de semana todo de chuva, o céu azul, embora com muitas nuvens, deu as caras para a classificação da MotoGP. Assim, Takaaki Nakagami foi o primeiro a se aventurar com pneus slicks na pista de Portimão. O japonês da LCR saiu com um par de macios e foi seguido por Remy Gardner, que calçou um médio liso na dianteira e um macio na traseira.

A experiência de Remy, porém, foi brevíssima. O australiano sofreu uma forte queda na curva 9 logo que saiu, mas escapou de lesões maiores.

Maverick Viñales cravou 1min51s309 e começou o Q1 na ponta, diante de Lorenzo Savadori. Morbidelli vinha em terceiro, escoltado por Raúl Fernández e Darryn Binder. Logo depois, porém, Enea Bastianini foi a 1min50s618 e ocupou a ponta, 0s161 melhor que Andrea Dovizioso.

Na segunda volta rápida nesta tarde portuguesa, Nakagami cravou 1mn50s478 e assumiu a liderança, 0s140 melhor que Enea. Enquanto Álex Márquez pulava para a ponta, Bagnaia levou um tombo na curva 3, machucando o braço direito. O italiano ainda não tinha tempo na sessão e estava de pneus slicks.

Enquanto Pecco recebia atendimento médico e era direcionado a uma ambulância, Dovizioso, com pneus de chuva, foi a 1min49s695 e assumiu a liderança, 0s740 melhor que Álex Márquez. Nakagami era o terceiro, diante de Martín, Di Giannantonio, Bastianini, Gardner, Savadori, Viñales e Morbidelli. Rins vinha só em 13º.

Luca Marini, então, subiu para segundo, mas logo caiu para terceiro, já que Martín foi a 1min48s870, 0s134 melhor que Alex Márquez, que avançou para segundo.

Já como bandeira quadriculada tremulando em Portimão, Álex Márquez virou 1min46s316 e assumiu o comando, com Marini saltando para segundo, 0s883 atrás. Martín caiu para terceiro, mais de 0s7 abaixo da linha de corte.

Nos instantes finais, Bastianini também caiu feio na curva 5 e terá de largar em 18º nesta quinta etapa de 2022.

Bastianini sofreu uma queda feio no final do Q1
Bastianini sofreu uma queda feio no final do Q1
Foto: Reprodução / Grande Prêmio

Assim, o caçula dos Márquez e Marini avançam ao Q2, enquanto Martín sai em 13º, à frente de Viñales, Di Giannantonio, Dovizioso, Nakagami, Bastianini, Morbidelli, Gardner, Savadori, Binder, Rins e Fernández. Sem tempo, Bagnaia ficou em último.

Zarco supera final agitado e crava pole em Portugal

A fase final da classificação começou com as melhores condições de pista de todo o fim de semana, o que permitiu que todos os pilotos saíssem com os slicks.

Quando as primeiras voltas foram registradas, Álex Márquez aproveitou a experiência do 1 e foi quem apareceu na pole provisória, com 1min46s569, 0s864 melhor que Pol Espargaró, o segundo colocado. Joan Mir vinha em terceiro, diante de Oliveira e Aleix Espargaró.

No giro seguinte, Joan Mir pulou para a ponta, 0s135 melhor que Miller. Álex Márquez desceu para terceiro, com Marco Bezzecchi aparecendo em quarto, à frente de Quartararo.

O mais novo dos Márquez reagiu rápido, baixou para 1min43s774 e retomou a primeira posição, com o irmão aparecendo 0s168 para formar uma dobradinha familiar logo em seguida. Bezzecchi veio em terceiro, diante de Marini, com Quartararo aparecendo em quinto.

Mir deu o troco na passagem seguinte, pelo menos para atrapalhar a festa familiar a dividiu os irmãos aos virar 0s011 melhor que Marc. Pouco depois, Quartararo fez o mesmo e passou o piloto da Suzuki por 0s076 para ficar com a segunda colocação.

Com menos de 4 minutos para o fim, Johann Zarco passou em 1min43s151 e assumiu a liderança, 0s006 à frente de Quartararo, que subiu para segundo. Álex Márquez baixou para o terceiro posto, diante de Miller e de Marc.

Mir, então, acertou a metade final do traçado e retomou a ponta ao registrar 1min43s055, 0s096 melhor do que Zarco. O francês, contudo, foi rápido no troco, mas não ficou com a ponta, já que Miller virou 0s117 melhor para ser o primeiro colocado.

Restando poucos segundos no cronômetro, Marc Márquez veio baixando as parciais até chegar em 1min42s295, tomando a pole provisória de Miller por 0s208. A volta, porém, foi cancelada por violar uma bandeira amarela causada por Pol Espargaró, que caiu no trecho final da pista.

Joan Mir veio em seguida com 1min42s198 e tomou a ponta, mas foi superado por Johann Zarco, que virou 0s195 melhor. Aleix Espargaró garantiu o terceiro posto.

MotoGP 2022, GP de Portugal, Classificação:

1 J ZARCO Pramac Ducati 1:42.003  
2 J MIR Suzuki 1:42.198 +0.195
3 A ESPARGARÓ Aprilia 1:42.235 +0.232
4 J MILLER Ducati 1:42.503 +0.500
5 F QUARTARARO Yamaha 1:42.716 +0.713
6 M BEZZECCHI VR46 Ducati 1:42.716 +0.713
7 A MÁRQUEZ LCR Honda 1:42.903 +0.900
8 L MARINI VR46 Ducati 1:43.179 +1.176
9 M MÁRQUEZ Honda 1:43.575 +1.572
10 P ESPARGARÓ Honda 1:43.832 +1.829
11 M OLIVEIRA KTM 1:44.066 +2.063
12 B BINDER KTM 1:44.710 +2.707
13 J MARTÍN Pramac Ducati 1:47.936 +5.933
14 M VIÑALES Aprilia 1:49.332 +7.329
15 F DI GIANNANTONIO Gresini Ducati 1:49.639 +7.636
16 A DOVIZIOSO RNF Yamaha 1:49.695 +7.692
17 T NAKAGAMI LCR Honda 1:49.889 +7.886
18 E BASTIANINI Gresini Ducati 1:50.618 +8.615
19 F MORBIDELLI Yamaha 1:50.702 +8.699
20 R GARDNER  Tech3 KTM 1:50.953 +8.950
21 L SAVADORI  Aprilia 1:51.308 +9.305
22 D BINDER RNF Yamaha 1:51.639 +9.636
23 Á RINS Suzuki 1:52.300 +10.297
24 R FERNÁNDEZ Tech3 KTM 1:53.603 +11.600
25 F BAGNAIA Ducati Não completou -

EUROPA X JAPÃO NA MOTOGP: CHEGOU A HORA DA REAÇÃO DAS GIGANTES YAMAHA, HONDA E SUZUKI?

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.
Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade