PUBLICIDADE

Rins vê Ducati "cinco passos à frente" da Suzuki na MotoGP em 2021: "São melhores que nós"

Enquanto Ducati e Yamaha dominam a MotoGP em 2021, a Suzuki sofre para buscar a primeira vitória na temporada. Álex Rins sabe disso e colocou a montadora italiana muito à frente neste momento do campeonato

28 set 2021 08h39
ver comentários
Publicidade
Álex Rins persegue Francesco Bagnaia no GP da Holanda
Álex Rins persegue Francesco Bagnaia no GP da Holanda
Foto: Suzuki / Grande Prêmio

A Suzuki conseguiu alguns pódios ao longo da atual temporada da MotoGP, mas novamente sofre para chegar ao topo. Após 14 etapas, a montadora japonesa viu as rivais conquistarem vitórias, mas Álex Rins e Joan Mir ainda não tiveram esse gosto especial. E ainda acreditam que estão bem atrás dos concorrentes.

A Yamaha já venceu seis vezes neste ano, contra cinco da Ducati. A KTM conseguiu duas e até a Honda voltou a triunfar na MotoGP, deixando apenas Suzuki e Aprilia como montadoras sem conquitas em 2021. Apesar da melhora da GSX-RR, Rins acredita que pouco evoluiu e por isso o time está bem atrás dos demais neste momento do certame.

Na última etapa, em Misano, Rins caiu quando buscava um lugar no top-5 e disputava posição contra Enea Bastianini. Com o acidente, voltou a abandonar e zerar em uma etapa, logo depois de conquistar um pódio em Silverstone. Questionado sobre a Ducati, que venceu as últimas duas provas, o espanhol opinou.

Rins caiu tentando acompanhar Bastianini em Misano (Foto: AFP)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

"Com certeza, vejo a Ducati cinco passos na nossa frente. Eles são bem fortes. Essa queda [em Misano] aconteceu porque eu tentava manter o mesmo ritmo [do Enea Bastianini]. Joan e eu estamos dando o máximo com a Suzuki", disse Rins.

"Joan está brigando pelo campeonato, mas eu não tenho nada a perder, então tento ser um pouco mais agressivo e andar no limite. Algumas vezes, eu passo [do limite] e acabo caindo. Eles [Ducati] são melhores que nós", seguiu.

O sentimento de derrota tem sido comum na Suzuki nas últimas semanas. Após o sexto lugar no GP de San Marino, Mir jogou a toalha na disputa pelo bicampeonato, mesmo que ainda possua chances matemáticas contra Fabio Quartararo e Francesco Bagnaia nas últimas quatro etapas do ano.

A MotoGP volta às pistas no próximo dia 3 de outubro para o GP das Américas, em Austin, no Texas. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2021.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade