PUBLICIDADE

Rins erra muito e decepciona na primeira parte da temporada 2021 da MotoGP

Com três abandonos e fora do GP da Catalunha, o espanhol não correspondeu à expectativa na primeira parte da temporada 2021 da MotoGP e saiu de férias apenas com a 14ª colocação no Mundial de Pilotos

27 jul 2021 04h47
ver comentários
Publicidade
Álex Rins decepcionou na primeira metade do campeonato deste ano
Álex Rins decepcionou na primeira metade do campeonato deste ano
Foto: Suzuki / Grande Prêmio

Álex Rins decepcionou na primeira metade da temporada 2021 da MotoGP. Mesmo com a melhora da moto da Suzuki, o espanhol cometeu uma série de erros e saiu de férias apenas na 14ª colocação do Mundial de Pilotos, 123 pontos atrás de Fabio Quartararo, o líder da disputa.

Rins começou o ano cercado de expectativas. Afinal, foi um dos protagonistas da reta final do campeonato passado. O companheiro de Joan Mir fechou o ano em terceiro, 32 pontos atrás do campeão. Assim, era natural que fosse colocado entre os favoritos deste ano.

Álex Rins precisa recompensar a fé da Suzuki (Foto: Suzuki)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

No entanto, as coisas desandaram. E muito. Se no ano passado foram 60 pontos nas primeiras nove corridas do ano, desta vez foram só 33. Alex abandonou três vezes e ficou de fora do GP da Catalunha por causa de um acidente bizarro: o espanhol foi fazer reconhecimento de pista com uma bicicleta, mas se distraiu com o celular, bateu numa van parada na pista, caiu e acabou com uma fratura no braço.

Além isso, o espanhol vinha bem no GP da Espanha, mas caiu e, apesar de ter conseguido voltar, acabou apenas em 20º. Ou seja, sem nenhum ponto.

Enquanto isso, Mir, apesar de ainda não estar lá tão bem quando era esperado, especialmente por se tratar de uma defesa de título, ocupa a quarta colocação na classificação, com 101 pontos, 68 à frente de Rins.

O cenário não é positivo, mas Rins, que vai ser pai ainda neste ano, até que tem um motivo para respirar aliviado: a confiança da Suzuki. Ao menos em público, a marca de Hamamatsu não disparou contra o piloto, nem mesmo após a lambança da Catalunha. E olha que é amplamente difundida a informação de que é um erro abissal caminhar/pedalar/dirigir olhando para o celular. Não importa o quão importante seja a mensagem em questão.

Apesar da temporada irregular, Rins encontrou apoio na Suzuki, então precisa achar um jeito de retribuir a altura. Parar em cima da GSX-RR já seria um bom começo.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade