PUBLICIDADE

Quartararo passa Bagnaia, escapa e vence com folga em 1-2 da Yamaha na Holanda

As coisas voltaram ao normal na MotoGP. Fabio Quartararo controlou com classe o GP da Holanda e venceu pela quarta vez na temporada. Maverick Viñales reagiu após uma largada ruim e ficou em segundo, com Joan Mir fechando o pódio

27 jun 2021 09h41
| atualizado às 10h23
ver comentários
Publicidade
Fabio Quartararo sumiu do pelotão e venceu na Holanda
Fabio Quartararo sumiu do pelotão e venceu na Holanda
Foto: Yamaha / Grande Prêmio

O GP da Holanda serviu para recolocar as coisas na ordem na MotoGP neste domingo (27). Depois da surpreendente vitória de Marc Márquez no último fim de semana, na Alemanha, Fabio Quartararo usou a corrida em Assen para reafirmar o favoritismo na temporada 2021 e venceu novamente, ampliando ainda mais a vantagem na liderança do campeonato.

Para vencer em Assen, Quartararo se aproveitou de uma boa largada, quando superou o companheiro Maverick Viñales. Depois, precisou ultrapassar Francesco Bagnaia e aí disparou na frente do pelotão para conquistar a quarta vitória no ano.

VÍDEO

Fabio Quartararo chegou ao quarto triunfo no ano
Fabio Quartararo chegou ao quarto triunfo no ano
Foto: Yamaha / Grande Prêmio

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Viñales, que largou na pole, teve de se recuperar ao longo da corrida e ainda tentou lutar contra o companheiro Quartararo, mas ficou com a segunda posição. Joan Mir fechou o pódio novamente, com a terceira posição.

Johann Zarco ficou em quarto e segue na disputa pelo título, mas agora mais distante do compatriota da Yamaha. Miguel Oliveira foi o quinto, com Francesco Bagnaia, Marc Márquez, Aleix Espargaró, Takaaki Nakagami e Pol Espargaró fechando o top-10.

Completada a primeira parte da temporada 2021, Quartararo lidera o Mundial com 156 pontos, 34 a mais que Zarco. Bagnaia é o terceiro, à frente de Mir e Jack Miller. A Yamaha também comanda os Mundiais de Construtores e Equipes.

Agora, a MotoGP entra de férias por cinco semanas e volta a correr apenas no dia 8 de agosto, no Red Bull Ring, para o GP da Estíria. Acompanhe a cobertura do GRANDE PRÊMIO sobre o Mundial de Motovelocidade.

Saiba como foi o GP da Holanda de MotoGP:

O céu de Drenthe estava carregado de nuvens, mas não parecia que ia chover. Quando a MotoGP foi para o grid de Assen, os termômetros mediam 23°C, com o asfalto chegando a 33°C. A umidade relativa do ar tinha baixado em relação à manhã, chegando em 68%. A velocidade do vento tinha subido em comparação com os treinos e estava em 13 km/h.

Em termos de escolha de pneus, o pelotão quase todo optou por médios dianteiros, com exceção de Maverick Viñales, que calçou a frente da YZR-M1 com um macio. Para a traseira, a maioria escolheu uma das duas versões de pneu duro, com Viñales, Iker Lecuona, Takaaki Nakagami, Lorenzo Savadori e Jorge Martín optando pelo médio, enquanto Pol Espargaró, Álex e Marc Márquez foram com o macio.

Quando as luzes se apagaram na reta de Assen, Quartararo tomou a ponta, com Bagnaia, Nakagami e Rins passando Viñales, que caiu para quinto depois de um toque com o companheiro de equipe. O espanhol da Yamaha logo atacou Álex e subiu para quarto.

Ainda no início da disputa, Bagnaia atacou Quartararo e, depois de alguma resistência do francês, que também era pressionado por Nakagami, ficou com a liderança.

Na volta 2, Rins escreveu mais um capítulo de uma temporada pavorosa e despencou para último depois de escapar da pista na curva 10 após um toque com Johann Zarco.

Perseguindo Bagnaia, Quartararo registrou a melhor volta da corrida e colou no italiano, que conseguiu afastar o rival, ainda que ligeiramente. Nakagami vinha em terceiro, não tão longe, à frente de Viñales e Zarco. Os cinco primeiros estavam cobertos por 1s.

No fim da volta 5, Quartararo passou Bagnaia pela liderança na Geert Timmer Bocht, mas o troco do italiano foi imediato. Apesar da briga, Nakagami não chegou, mas tampouco foi atacado por Maverick Viñales, que ia se afastando e não tinha Zarco assim tão longe.

Johann, aliás, passou a sofrer a pressão de Mir, que passou, mas levou o troco de imediato.

Enquanto isso, Quartararo tomou a liderança de Bagnaia aproveitando a velocidade da Yamaha na curva 11. Com uma Desmosedici um tantinho instável, Pecco não só não teve como devolver, como ainda viu o líder do Mundial abrir cerca de 0s5 de vantagem de imediato.

Fabio, então, tratou de imprimir o ritmo forte que mostrou no sábado e abriu um caminhão de vantagem. Na volta 9, 'El Diablo' já tinha 1s822 de margem para Pecco.

Por outro lado, Valentino Rossi encerrou a corrida mais cedo. O italiano caiu na curva 7 e precisou abandonar o GP da Holanda. O #46 tinha largado em 12º, mas teve uma primeira volta ruim e despencou para o fundo do pelotão, de onde tentava se recuperar.

Sem conseguir acompanhar o passo de Quartararo, Bagnaia passou a ser pressionado por Nakagami, que não conseguiu ultrapassar. Quarto, Viñales vinha por perto, seguido por Zarco e Mir.

Na volta 11, Nakagami fez uma bela ultrapassagem e tomou o segundo posto de Pecco, que tinha sido alertado a respeitar os limites da pista. A falta de ritmo da Ducati era clara, mas a potência do motor facilitou a devolutiva do italiano, que recuperou a segunda colocação.

Restando 14 voltas para o fim da corrida, Quartararo já vinha 3s1 de vantagem para Bagnaia, que não conseguia se livrar da pressão de Nakagami. Aliás, o japonês chegou a passar outra vez, mas a resposta foi quase que imediata de novo. Viñales vinha até pertinho, mas sem efetivamente atacar.

Pouco depois, porém, a direção de prova facilitou a vida do piloto da LCR ao aplicar uma punição da volta longa a Bagnaia, que tinha voltado a ultrapassar os limites da pista após receber uma advertência.

Antes de cumprir, porém, Viñales passou Nakagami, com Zarco seguindo o espanhol. Quando Pecco foi para o castigo, Maverick assumiu o segundo posto, já 4s atrás do companheiro de Yamaha.

Logo depois, Jack Miller caiu na curva 5 e acabou abandonando a corrida, mas conseguiu voltar para a corrida, ainda que no fundo do pelotão.

Assim, Quartararo liderava, seguido por Viñales, Zarco, Mir, Oliveira, Aleix Espargaró, Bagnaia, Marc Márquez, Nakagami e Pol Espargaró.

Bagnaia conseguiu passar Aleix Espargaró para assumir o sexto posto, com o catalão atacado por Marc Márquez pouco depois. O hexacampeão da MotoGP até conseguiu passar, mas levou o troco de imediato.

Sem Bagnaia e Nakagami pela frente, Viñales passou a exibir o melhor ritmo, registrando uma sequência de boas voltas. Assim, a diferença para Fabio começou a cair. Com oito voltas para o fim, os dois estavam separados por 3s342.

Depois de cair e voltar, Miller foi sinalizado de que tinha um problema mecânico e deveria abandonar. Sem demora, o australiano entrou nos boxes da Ducati.

Enquanto isso, Mir tratou de passar Zarco para assumir a última posição dos boxes, já quase 2s atrás de Viñales, que tinha parado de se aproximar de Fabio.

Neste mesmo ponto da corrida, Iker Lecuona perdeu a frente da KTM na chicane Geert Timmer Bocht e caiu, com a moto ficando no meio da pista. Enea Bastianini precisou desviar e os fiscais logo apareceram para recolher o protótipo da Tech3.

Com cinco voltas para o fim, a diferença entre Quartararo e Viñales tinha caído para 3s113, mas Viñales não fazia muito para se aproximar. Mais atrás, Márquez pressionava Bagnaia pela sexta colocação em Assen.

Maverick seguiu trabalhando e foi baixando a margem de Quartararo, que chegou a 2s8 em meados da 23ª volta.

20º no grid, Marc Márquez seguia pressionando Bagnaia. O espanhol, que subiu para 12º ainda na primeira volta, agora tentava conseguir a sexta colocação. Sem conseguir passar, Marc acabou passado por Aleix Espargaró, que se instalou em sétimo.

O mais velho dos Márquez, no entanto, recuperou a posição logo depois e voltou a tentar pressionar Pecco, mas recebeu a bandeirada atrás do italiano.

MotoGP 2021, GP da Holanda, Assen, Corrida:

1 F QUARTARARO Yamaha 26 voltas
2 M VIÑALES Yamaha +2.757
3 J MIR Suzuki +5.760
4 J ZARCO Pramac Ducati +6.130
5 M OLIVEIRA KTM +8.402
6 F BAGNAIA Ducati +10.035
7 M MÁRQUEZ Honda +10.110
8 A ESPARGARÓ Aprilia Gresini +10.346
9 T NAKAGAMI LCR Honda +12.225
10 P ESPARGARÓ Honda +18.565
11 A RINS Suzuki +21.372
12 B BINDER KTM +21.676
13 D PETRUCCI Tech3 KTM +27.783
14 A MÁRQUEZ LCR Honda +29.772
15 E BASTIANINI Avintia Ducati +32.785
16 L SAVADORI Aprilia Gresini +37.573
17 G GERLOFF SRT Yamaha +53.213
18 L MARINI Avintia VR46 Ducati +1:06.791
19 I LECUONA Tech3 KTM Abandonou
20 J MILLER Ducati Abandonou
21 J MARTÍN Pramac Ducati Abandonou
22 V ROSSI SRT Yamaha Abandonou
Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade