PUBLICIDADE

Quartararo diz que esqueceu regras da MotoGP em "corrida mais estranha da vida"

Fabio Quartararo nunca tinha feito uma prova flag-to-flag na MotoGP, por isso se enrolou durante o GP da França. No fim, apesar da punição sofrida, comemorou o terceiro lugar duas semanas após passar por uma cirurgia no braço

16 mai 2021 13h08
ver comentários
Publicidade
Fabio Quartararo sofreu punição, mas ainda terminou em terceiro
Fabio Quartararo sofreu punição, mas ainda terminou em terceiro
Foto: Yamaha / Grande Prêmio

Fabio Quartararo largou na pole em Le Mans e parecia na briga pela vitória, mas uma punição por errar o procedimento de troca da moto nos boxes o tirou da disputa. No fim, foi superado por Jack Miller e Johann Zarco e terminou em terceiro lugar. Após a corrida, o francês relatou que esqueceu das regras da MotoGP para provas flag-to-flag assim que as condições mudaram.

Foi a primeira vez que Quartararo disputou uma corrida flag-to-flag e com chuva na MotoGP. O piloto da Yamaha estreou na classe rainha do Mundial de Motovelocidade em 2019. A última etapa flag-to-flag foi em 2017, na Tchéquia. Por isso, a confusão nos procedimentos.

"Sinceramente, foi a corrida mais estranha da minha vida porque eu estava em terceiro, começou a chover e, no começo, Maverick [Viñales] e Jack [Miller] estavam cuidadosos. Pensei 'ok, preciso ultrapassar'. Fiz uma grande manobra na chicane, depois começou a chover muito e pensei 'por que não há uma bandeira vermelha?'. Aí lembrei 'merda, na MotoGP tem uma segunda moto'", comentou o francês após a corrida.

Quartararo destacou dificuldades no início da prova em Le Mans
Quartararo destacou dificuldades no início da prova em Le Mans
Foto: Yamaha / Grande Prêmio

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

"Eu quase peguei a moto errada, ia subir na do Maverick, mas então acertei e foi uma grande experiência. O principal é que eu não esperar chegar no pódio nestas condições. Honestamente, foi muito difícil. Eu nunca esperava terminar nesta posição", completou.

O líder do campeonato ainda comentou a cirurgia que se submeteu após o GP da Espanha, há duas semanas.

"Quando você tem essa cirurgia, é difícil aceitar que isso acontece. Chegamos aqui e me senti bem, só um pouco de dor no segundo treino livre. Na corrida, talvez tenha sido bom não fazer as 27 voltas no limite por conta dessas condições", finalizou.

A MotoGP volta à ação no dia 30 de maio, com o GP da Itália, sexta etapa do calendário. Acompanhe a cobertura do GRANDE PRÊMIO sobre o Mundial de Motovelocidade.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade