PUBLICIDADE

Mir fala em rumores, mas abre porta para volta de Brivio à Suzuki: "Ficaria feliz"

Em meio a boatos de um retorno do ex-dirigente à MotoGP, o campeão vigente defendeu a importância de um chefe de equipe e frisou que a Suzuki está empenhada na busca por alguém que possa assumir o comando em 2022

22 out 2021 07h12
ver comentários
Publicidade
Davide Brivio comandou a Suzuki no título de Joan Mir em 2020, mas vai partir para a Fórmula 1
Davide Brivio comandou a Suzuki no título de Joan Mir em 2020, mas vai partir para a Fórmula 1
Foto: Divulgação/MotoGP / Grande Prêmio

ADEUS DE ROSSI E TRIBUTO A SIMONCELLI: MOTOGP TRANSBORDA EMOÇÃO EM MISANO | GP às 10

Joan Mir estendeu o tapete vermelho para um eventual retorno de Davide Brivio à Suzuki. O espanhol lembrou que o retorno do dirigente que hoje está na Fórmula 1 com a Alpine é apenas um rumor, mas admitiu que ficaria feliz em trabalhar com o italiano novamente.

Nos últimos dias, surgiram rumores de que Brivio não está completamente satisfeito com o trabalho na F1 e considera a possibilidade de retornar ao mundo do motociclismo.

Ainda sem um substituto na Suzuki, Davide passou a ser cotado para reassumir o posto na Suzuki.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Davide Brivio comandou a Suzuki no título de Joan Mir (Foto: Suzuki)

MATEMÁTICA DO TÍTULO

"Em relação aos rumores, também ouvi", disse Mir. "Para mim, não é um problema se Davide voltar. Ele fez um ótimo trabalho comigo no passado e, com certeza, eu ficaria feliz. Mas rumores são só rumores. Vamos ver", seguiu.

A Suzuki encarou 2021 sem um substituto para o italiano, mas admitiu que vai buscar alguém para o lugar. Wilco Zeelenberg apareceu entre os cotados, mas o holandês confirmou que ficará com a RNF em 2022, o novo nome da SRT.

"Acho que precisamos de alguém como Davide. O staff japonês percebeu isso e estamos tentando de tudo para resolver a situação", comentou Mir. "Não foi fácil controlar a situação com a saída de uma pessoa como Brivio da equipe. Ninguém esperava. Foi difícil gerir as coisas para os japoneses", frisou.

"É importante que agora eles tenham percebido que precisamos desta pessoa e sei que eles estão tentando encontrar alguém. É difícil, pois essa pessoa é sempre importante pra a equipe. É uma situação difícil. Mas eles estão fazendo todo o possível", garantiu.

Além da Suzuki, a VR46 também foi apontada como uma possibilidade para Brivio. Davide trabalhou com Valentino Rossi no passado, foi peça fundamental para a transferência do italiano de Honda para Yamaha em 2004 e chegou a atuar na estrutura do multicampeão.

Em Misano, Rossi exaltou o papel de Brivio em sua trajetória profissional, mas deixou claro que o italiano não estará com a VR46 em 2022.

"Tenho uma boa relação com Davide, ele foi a pessoa que me convenceu a assinar com a Yamaha em 2004 e compartilhei os melhores momentos da minha carreira com ele. Realmente gosto da maneira que ele trabalha. Para mim, ele é o melhor chefe de equipe do paddock e pode fazer a diferença, como aconteceu na Suzuki", elogiou Valentino. "Dito isso, não conversamos sobre o futuro dele e, se ele voltar à MotoGP, não será com a minha equipe. Temos outros programas", concluiu.

WEB STORY

A MotoGP define o grid de largada do GP do Feito na Itália e da Emília-Romanha, em Misano, no sábado (23), às 9h10 (de Brasília). O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2021.

MOTOGP MOSTRA DUAS CARAS EM DECISÕES ENVOLVENDO SEGURANÇA EM 2021 | GP às 10

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade