0

Mir coloca títulos de Moto3 e MotoGP em pé de igualdade: "Eles têm mesmo valor"

Líder da disputa na classe rainha do Mundial de Motovelocidade, o piloto da Suzuki descartou mudar mentalidade e afirmou que não deve pensar no campeonato o tempo inteiro

28 out 2020
09h17
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Joan Mir tem só 23 anos
Joan Mir tem só 23 anos
Foto: Suzuki / Grande Prêmio

Joan Mir afirmou que os títulos de Moto3 e MotoGP "têm o mesmo valor". O espanhol foi campeão da classe menor do Mundial de Motovelocidade na temporada 2017.

Desde o GP de Aragão, o caçula dos pilotos da Suzuki comanda a disputa pelo título e agora lidera a classificação com 14 pontos de vantagem para Fabio Quartararo, o segundo colocado. Restam apenas três corridas para o encerramento da temporada 2020, ou seja, 75 pontos.

Joan Mir lidera o Mundial, mas ainda não venceu
Joan Mir lidera o Mundial, mas ainda não venceu
Foto: Suzuki / Grande Prêmio

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Questionado se a experiência de brigar pelo título da Moto3 em 2017 ajuda na disputa deste ano, Mir respondeu: "É diferente, claro. São momentos diferentes. Para mim, aquele título e este título têm o mesmo valor".

"Se, no fim, for capaz de conquistar o título, o valor que deu ao título da Moto3 é o mesmo que darei a este aqui", assegurou Joan. "Então este não é o ponto. É verdade que estou um pouco mais maduro, entendo que tenho a experiência para entender um pouco a pressão, para controlá-la bem. Logo, acho que aquele título me ensinou muito", ponderou.

Desde que assumiu a liderança do Mundial, Mir insiste em manter a mesma mentalidade, já que considera que seria um erro ir para as etapas finais da temporada pensando apenas no título. O espanhol ainda busca a primeira vitória na classe rainha do Mundial de Motovelocidade.

"Agora, mais do que nunca, seria um grande erro, pois é claro que todos nós sabemos que podemos cometer erros, ainda mais agora", apontou. "Mas temos de ser rápidos e, sempre que tenta ser rápido, arrisca e pode errar", ponderou.

"O importante é encontrar um equilíbrio nisso e no risco no momento. Por exemplo, nesta corrida, houve um momento em que pensei que podia chegar nos ponteiros, Mas quando vi que não dava, me questionei do motivo de seguir forçando, arriscando uma queda, se já sabia que não podia vencer", relatou. "Então este é um pouco o ponto. Não temos de pensar no campeonato em alguns momentos. Nas primeiras voltas, eu ao estava pensando no campeonato. Mas tem um instante em talvez sim, talvez tenha pensado. É preciso encontrar um equilíbrio", concluiu.

Ouça os programas do GRANDE PRÊMIO no formato de podcast:

Veja também:

Lembre os jogos que o São Paulo está sem perder no Brasileirão
Grande Prêmio
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade