0

Masià dá bote nos metros finais e vence agitado GP de Teruel de Moto3. Arenas é 4º

Em um final alucinante, Masià aproveitou para dar o ataque certeiro para garantir o segundo triunfo em 2020. Ayumu Sasaki estreia no pódio em segundo, com Kaito Toba completando o top-3

25 out 2020
08h05
atualizado às 10h08
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Jaume Masià
Jaume Masià
Foto: Reprodução / Grande Prêmio

A Moto3 não decepcionou com o disputado GP de Teruel deste domingo (25). Com várias trocas de posições e o top-20 separado por apenas 5s, quem levou a melhor foi Jaume Masià, que tratou de aumentar o ritmo na reta final da disputa para garantir a vitória.

O espanhol mostrou ter se adaptado bem ao MotorLand, pois venceu ambas as provas no circuito do nordeste da Espanha. Não bastasse o segundo triunfo seguido, o competidor da Leopard garantiu a vitória de número 800 para a Honda no Mundial de Motovelocidade.

Jaume Masià garante a segunda vitória no MotorLand
Jaume Masià garante a segunda vitória no MotorLand
Foto: Reprodução / Grande Prêmio

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Apertando o ritmo nos metros finais, Ayumu Sasaki deu o bote certeiro para assumir a segunda colocação e ficar pela primeira vez no top-3. Kaito Toba acompanhou o piloto e terminou em terceiro, com o Japão subindo em dois degraus do pódio.

Albert Arenas acabou levando a pior. Após liderar grande parte da corrida espanhola, o atual líder da classificação perdeu terreno e cruzou a linha de chegada na quarta colocação, ficando fora do pódio. Celestino Vietti completou o top-5 do dia.

Com o resultado da corrida, Arenas segue na primeira colocação da classificação agora com 157 pontos.Com 19 tentos de desvantagem aparece Ai Ogura, enquanto Celestino Vietti, Masià e Tony Arbolino completam os cinco primeiros da tabela.

Saiba como foi o GP de Teruel de Moto3:

Assim como aconteceu ao longo de todo o fim de semana, o domingo também amanheceu com sol em Teruel, mas com temperaturas baixas. Quando a Moto3 alinhou no grid para a corrida deste domingo, os termômetros marcavam apenas 18°C, com o asfalto chegando a 22°C.

Quando as luzes se apagaram no MotorLand de Aragão, Tony Arbolino tomou a ponta, mas se viu pressionado ainda nos primeiros metros, com Raúl Fernández retomando o comando na curva 3, seguido por Arenas. Pouco depois, Vietti também passou o piloto da Snipers.

Ainda na primeira volta, Arenas aproveitou a reta oposta para grudar em Fernández e assumir a ponta. Mas o troco veio pouco depois. Gabriel Rodrigo também avançou neste início de corrida e vinha agora em terceiro.

Como sempre acontece na Moto3, o pelotão se manteve bastante agrupado, resultando em uma mudança constante de posições. Fernández conseguiu se manter na ponta e abrir um ligeiro respiro, mas Ayumu Sasaki assumiu o segundo posto, à frente de Rodrigo, Vietti e Arenas.

Na volta 4, Rodrigo usou o vácuo na reta oposta para colar em Fernández e tomar a liderança. Vietti era agora o terceiro, à frente de Arenas e Sasaki. A liderança de Gabriel, contudo, também foi breve, já que Vietti assumiu o comando na aproximação da curva 1. Albert logo passou Ayumu, com Darryn Binder e Toba também deixando o piloto da Tech3 para trás.

Arenas logo encontrou uma brecha para assumir o comando e conseguiu abrir 0s203 de margem para Binder. Vietti, Toba, Masià, Sasaki, Fernández, Arbolino, Rodrigo e Filip Salac formavam o top-10.

Vietti e Toba passaram Binder, com o piloto da Red Bull KTM Ajo aproveitando para subir para a segunda colocação logo depois. Kaito, então, tomou a liderança de Arenas, mas o troco veio apenas metros mais tarde.

Na volta 8, Toba retomou a ponta na reta oposta, mas, assim como tinha acontecido antes, não conseguiu conter o avanço de Arenas por muito tempo. Enquanto isso, Masià se instalou na terceira colocação, com Binder e Sasaki formando o top-5. Com 11 giros para o fim, o primeiro pelotão ainda tinha 24 pilotos.

Na abertura da volta 10, Toba fez uma nova tentativa, mas Arenas conseguiu conter o avanço do japonês. Em meados da corrida, os cinco primeiros colocados eram equipados pela KTM, enquanto os quatro pilotos seguintes corriam com motos Honda.

Toba, então, adiou a freada e foi por dentro na curva 1 para atacar Arenas, mas Kaito pagou caro pelo movimento caindo para a sexta colocação, atrás não só de Albert, mas também de Binder, Vietti, Masià e Sasaki. Pouco depois, Sergio García e Tony Arbolino também deixaram o japonês da Ajo para trás.

Na 12ª das 19 voltas, o primeiro pelotão seguia com 24 pilotos, ainda com a liderança de Arenas, que agora era pressionado por Masià. Binder ocupava o terceiro posto, seguido por García e Vietti.

Já na parte final da volta 13, Masià usou a reta oposta para armar o bote contra Arenas e tomou a ponta, mas ficou apenas brevemente por lá, já que, assim como fez outras tantas vezes neste domingo, Albert recuperou o comando.

Jaume, contudo, não se deixou derrotar e voltou a tomar a primeira posição, exatamente no mesmo ponto. E, assim como na volta anterior, Albert deu o troco logo na curva 1. Binder era o terceiro, à frente de John McPhee, Toba, Vietti e García.

Com cinco voltas para o fim, Binder passou Masià e assumiu o segundo posto, mas levou o 'X' na abertura da volta seguinte, na freada da curva 1. Pouco depois, Darryn caiu para terceiro, superado por McPhee.

No fim da volta 17, Masià recuperou a ponta e, desta vez, conseguiu impedir a reação do rival da Aspar por mais alguns metros, mas voltou para o segundo lugar mesmo assim. McPhee era o terceiro, à frente de Toba e Vietti.

No giro seguinte, Masià reassumiu a ponta com uma bela manobra no miolo da pista, mas Arenas, de novo, deu o troco. Logo depois, McPhee passou Jaume por dentro, assumindo o segundo lugar. O avanço britânico, porém, foi breve, já que o piloto da Leopard não só recuperou o lugar, como também atacou Albert para abrir a volta final na liderança.

Maisà venceu nos metros finais em Teruel
Maisà venceu nos metros finais em Teruel
Foto: Reprodução / Grande Prêmio

Metros mais para frente, Arenas conseguiu voltar para a ponta da tabela. Mais atrás, Suzuki caiu e acabou levando García junto, já que o piloto da Estrella Galicia 0,0 não teve como desviar.

Masià atacou Albert mais uma vez, com Sasaki e Toba aproveitando para mergulhar por dentro de Arenas e derrubar o líder do Mundial para a quarta colocação. As posições, então, foram conservadas até a bandeirada, com Jaume saindo com o orgulho de empunhar uma bandeira em comemoração à vitória 800 da Honda no Mundial.

Ouça os programas do GRANDE PRÊMIO no formato de podcast:

Moto3 2020, GP de Teruel, MotorLand, corrida

1 J MASIÀ Leopard Honda 37:44.602
2 A SASAKI PETRONAS Honda +0.051
3 K TOBA Asia Honda +0.152
4 A ARENAS Ángel Nieto KTM +0.296
5 C VIETTI VR46 KTM +0.331
6 J MCPHEE SIC HONDA +0.372
7 D ÖNCÜ Red Bull KTM Ajo +0.583
8 D BINDER CIP KTM +0.772
9 A OGURA Asia Honda +0.955
10 T ARBOLINO Snipers Honda +2.259
11 A LÓPEZ Estrella Galicia 0,0 Honda +2.489
12 R FERNÁNDEZ Ángel Nieto KTM +2.493
13 F SALAC Prüstel KTM +2.520
14 G RODRIGO Gresini Honda +2.686
15 J ALCOBA RBA KTM +2.745
16 D FOGGIA Leopard Honda +2.895
17 C TATAY Andreas Perez 77 KTM +3.019
18 A MIGNO Worldwide KTM +3.622
19 R FENATI Snipers Honda +5.448
20 S NEPA Avintia KTM +5.620
21 B BALTUS Prüstel KTM +5.680
22 N ANTONELLI SIC58 Honda +6.103
23 R YAMANAKA Estrella Galicia 0,0 Honda +16.543
24 J DUPASQUIER Prüstel KTM +21.606
25 Y KUNII Asia Honda +21.716
26 D PIZZOLI Facile Energy KTM +21.812
27 K PAWI SIC HONDA +32.799
28 M KOFLER CIP KTM +33.600
29 T SUZUKI SIC58 Honda NC
30 S GARCIA Estrella Galicia 0,0 Honda NC

Veja também:

Lembre os jogos que o São Paulo está sem perder no Brasileirão
Grande Prêmio
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade