PUBLICIDADE

Marc Márquez lembra lesão e preocupação "pela minha vida, não pela competição"

O piloto da Honda afirmou que os meses de setembro, outubro e novembro foram muito difíceis, já que a recuperação da fratura não avançava e a infecção no braço tampouco. Espanhol considerou que a terceira cirurgia foi a que estabilizou as coisas

21 jun 2021 07h56
ver comentários
Publicidade
Marc Márquez venceu pela primeira vez após a lesão
Marc Márquez venceu pela primeira vez após a lesão
Foto: Honda / Grande Prêmio

Marc Márquez teve medo de não voltar a vencer na MotoGP, mas, mais do que isso, ficou preocupado de não voltar a ter uma vida normal. Após conquistar o triunfo no GP da Alemanha de domingo (20), espanhol recordou que os meses de setembro, outubro e novembro do ano passado foram especialmente difíceis.

O mais velho dos irmãos Márquez quebrou o braço direito em um acidente na primeira etapa da temporada passada. O espanhol foi, então, operado para estabilizar o osso, mas uma tentativa de acelerar o retorno às pistas acabou causando danos à placa de titânio, que teve de ser substituída em uma segunda cirurgia, poucas semanas após a primeira.

WEB STORY

Marc Márquez recordou que teve medo dos efeitos da lesão
Marc Márquez recordou que teve medo dos efeitos da lesão
Foto: Red Bull Content Pool / Grande Prêmio

A nova intervenção, porém, teve problemas. Além de não consolidar o osso, a operação resultou também em uma infecção, o que forçou uma nova cirurgia, em dezembro, com outra equipe médica. Foi só a partir daí que o quadro de Marc começou a avançar.

Questionado se teve medo de não voltar a vencer na MotoGP, Márquez respondeu: "Claro. Em setembro, outubro e novembro, tive medo. Mas mais do que não voltar a vencer, estava preocupado com a evolução do meu braço".

"Tinha menos força e uma infecção dentro do meu corpo. Nós íamos atrasando ao invés de avançar. Eu estava preocupado pela minha vida, não pela competição", admitiu. "Mas, desde a terceira cirurgia, tudo se normalizou mais, mas esta última parte do ano foi muito difícil para mim", frisou.

Depois do GP da Holanda do próximo fim de semana, a MotoGP entra de férias até o início de agosto, e Marc planeja usar esse tempo para efetivamente descansar.

"As férias são importantes, como o trabalho, mas preciso de duas semanas para descansar e desconectar, porque já são dois invernos que não tenho férias por causa das cirurgias e da fisioterapia. Preciso, ainda que não chegue preparado na Áustria", concluiu.

A MotoGP volta à ação já no próximo fim de semana, com a nona etapa do calendário, o GP da Holanda, em Assen. Acompanhe a cobertura do GRANDE PRÊMIO sobre o Mundial de Motovelocidade.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade