PUBLICIDADE

Marc Márquez diz que "torcida me levantou" em Jerez: "Estava completamente no chão"

Espanhol explicou que se salvou de queda no fim do GP da Espanha com o apoio da torcida. Piloto da Honda avaliou que até vê melhora em termos de performance, mas reconheceu que segue muito distante dos ponteiros

2 mai 2022 12h52
ver comentários
Publicidade
Marc Márquez viu ajuda dos fãs em salvada
Marc Márquez viu ajuda dos fãs em salvada
Foto: Gold & Goose/Red Bull Content Pool / Grande Prêmio

Marc Márquez afirmou que conseguiu se salvar de uma queda na reta final do GP da Espanha de domingo (1) com apoio da torcida. O titular da Honda considerou que "completamente no chão" quando conseguiu levantar a moto e seguir na corrida para receber a bandeirada na quarta colocação.

Marc passou a maior parte da disputa em Jerez de la Frontera disputando o último posto do pódio com Jack Miller e Aleix Espargaró. Na 21ª das 25 voltas, o hexacampeão da MotoGP tomou a terceira colocação do australiano, mas perdeu a frente da moto na freada na última curva e quase caiu.

CLASSIFICAÇÃO DA MOTOGP

Marc Márquez quase caiu no finalzinho do GP da Espanha (Foto: Gold & Goose/Red Bull Content Pool)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Apesar do susto, Marc conseguiu evitar o tombo, algo que não aconteceu já cerca de dois anos, desde que fraturou o braço direito no mesmo circuito de Jerez de la Frontera.

"Nos últimos dois anos, não salvei [uma queda] desse jeito", disse Márquez. "Quando for salvar do lado direito, será diferente. Salvei do esquerdo, do esquerdo eu me sinto ok. Mas é verdade que mesmo que eu tenha podido controlar isso, acho que a torcida espanhola me levantou, pois eu estava completamente no chão", comentou.

"As duas rodas estavam escorregando, mas, de repente, levantei a moto", comentou. "Agora precisamos encarar esse resultado como uma coisa positiva e outra motivação", defendeu.

Embora o quarto lugar de Jerez tenha sido o melhor resultado do espanhol no ano, Marc fiou a mais de 12s de Francesco Bagnaia, o vencedor do GP da Espanha. O piloto da Honda admitiu que os esforços para adaptar a moto ao estilo de pilotagem dele foram inúteis e, por isso, ele tem de se encaixar nas exigências da RC213V. No entanto, isso deixa a HRC "sem saber a direção" com que seguir o desenvolvimento.

"É verdade que, no momento, não estamos pontos no campeonato", disse Marc. "Têm dois pilotos que são muito mais rápidos do que todo mundo, que são [Fabio] Quartararo e Pecco [Bagnaia]. Eles são os dois caras [que eram favoritos] na pré-temporada, e que estão lá", pontuou. "Mas é verdade que estamos chegando mais e mais próximos. Ainda não sabemos a direção, precisamos entender muitas coisas com essa nova moto. Tentei adaptá-la ao meu estilo de pilotagem, mas agora estou tentando trabalhar no meu estilo e pilotando da melhor maneira possível com outro estilo de pilotagem", indicou.

"É fato que estou em dificuldade, mas posso sobreviver e conquistar um bom resultado. Antes, diria que o quarto lugar não é um bom resultado, mas, no momento, é um bom resultado", encerrou.

A MotoGP volta às pistas no próximo dia 15 de maio para o GP da França, em Le Mans, sétima etapa da temporada 2022. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2022.

EUROPA X JAPÃO NA MOTOGP: CHEGOU A HORA DA REAÇÃO DAS GIGANTES YAMAHA, HONDA E SUZUKI?

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.
Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade