PUBLICIDADE

KTM diz que antecipou em um ano projeto com jovens pilotos por saída de Pol Espargaró

Chefe da divisão esportiva da marca austríaca, Pit Beirer explicou que a KTM até cogitou um piloto reconhecido para assumir a vaga do catalão, mas optou por manter o projeto de promover aqueles que a defenderam nas classes menores

12 jul 2021 08h32
ver comentários
Publicidade
Miguel Oliveira foi escolhido para substituir Pol Espargaró na equipe de fábrica
Miguel Oliveira foi escolhido para substituir Pol Espargaró na equipe de fábrica
Foto: Rob Gray/Polarity Photo / Grande Prêmio

A KTM precisou antecipar em um ano o programa com jovens pilotos para lidar com a saída de Pol Espargaró. O catalão, que se juntou à equipe em 2017, ajudou no desenvolvimento da RC16, mas, antes mesmo do início do campeonato passado, assinou com a Honda para formar par com Marc Márquez a partir de 2021.

Chefe da divisão esportiva, Pit Beirer reconheceu que a casa de Mattighofen até pensou em substituir o catalão por um piloto mais experiente, mas decidiu manter a filosofia de apoiar talentos da casa.

Pit Beirer destacou a importância dos pilotos na melhora da KTM em 2021
Pit Beirer destacou a importância dos pilotos na melhora da KTM em 2021
Foto: Red Bull Content Pool / Grande Prêmio

Assim, Brad Binder ficou com a equipe de fábrica, com Miguel Oliveira promovido da Tech3 para preencher a vaga deixada pelo irmão de Aleix. Os dois pilotos passaram pelas mãos da KTM em Rookies Cup, Moto3 e Moto2.

"Tivemos muitos altos e baixos juntos, mas nunca chegamos em um ponto em que eles duvidassem de nós ou que duvidássemos destes dois caras", disse Beirer em entrevista à publicação inglesa Autosport. "Quando perdemos Pol, estávamos procurando por outro grande nome e aí dissemos: 'Quer saber? Vamos ficar com o nosso próprio programa', que é a Rookies Cup, junto com a Moto3, a Moto2 e aí ir para a MotoGP com a KTM", apontou.

"Acho que confiamos no nosso sistema um ano antes do que gostaríamos no início, então estou feliz com isso", frisou.

Ano passado, a KTM conquistou três vitórias na MotoGP, uma com Binder e duas com Oliveira, ainda na equipe de Hervé Poncharal. 2021, por outro lado, foi marcado por um início difícil para a RC16, mas a moto austríaca entrou nos eixos após a introdução de um novo chassi em Mugello, o que permitiu a volta do português ao pódio e também ao rol dos vencedores.

O dirigente aproveitou para exaltar Binder e Oliveira pela confiança depositada na equipe mesmo com o início ruim de campeonato.

"Eles não enlouqueceram nesse momento difícil, não falaram imediatamente com outra equipe ou outra fábrica", indicou Pit. "Eles confiam em nós. Se dizemos a eles que não estamos felizes e que vamos trabalhar, acreditamos neles. Mas eles mantiveram a calma e nos ajudaram muito", destacou.

"Se os pilotos começassem a enlouquecer e ficassem nervosos, com certeza teria sido mais difícil", reconheceu. "Estou muito feliz com esses caras supercalmos. Nós trabalhamos em áreas grandes diferentes da moto, montamos um pacote ― não sei se foi um décimo, dois décimos, três, alguns quilômetros de velocidade máxima, o que bom. Nós trouxemos isso, mas os pilotos trouxeram mais", reconheceu.

"Eles conseguiram um feeling melhor e, com isso, cresceram outra vez. É incrível o que eles trouxeram para a mesa depois que demos um passo", elogiou. "Isso mostra o caráter da equipe: no final, só uma equipe pode vencer, mas não somos nada sem nossos fantásticos pilotos. O verdadeiro ponto de referência é o piloto na pista", encerrou.

A MotoGP está de férias por cinco semanas e volta a correr apenas no dia 8 de agosto, no Red Bull Ring, para o GP da Estíria. Acompanhe a cobertura do GRANDE PRÊMIO sobre o Mundial de Motovelocidade.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade