2 eventos ao vivo

GP às 10: Como segunda onda do coronavírus ameaça desfecho da MotoGP em 2020

Depois da ausência de Valentino Rossi das duas corridas realizadas em Aragão, Juliana Tesser traça uma perspectiva da reta final de um grande campeonato, mas em xeque por conta do avanço da pandemia na Europa

28 out 2020
10h03
  • separator
  • 0
  • comentários
  • separator
Juliana Tesser aborda a pandemia do coronavírus e os impactos da segunda onda na MotoGP
Juliana Tesser aborda a pandemia do coronavírus e os impactos da segunda onda na MotoGP
Foto: Divulgação / Grande Prêmio

Depois de tumultuar o começo da temporada, a pandemia do novo coronavírus agora ameaça o encerramento do campeonato de 2020. Com a Europa em meio a uma segunda onda de contágios, resta torcer para que dos GPs da Europa, da Comunidade Valenciana e de Portugal sigam como previsto, afirma Juliana Tesser no GP às 10 desta quarta-feira.

Aproveite e siga o canal do GRANDE PRÊMIO no DailyMotion.

Como Haas ajudou no fracasso de Grosjean e Magnussen

Lá na frente, Romain Grosjean e Kevin Magnussen não serão lá muito bem lembrados pela Fórmula 1. O francês e o dinamarquês, dispensados da Haas na semana passada, ainda antes do GP de Portugal, tiveram seus bons momentos na categoria mas, nos últimos anos, viraram motivo de chacota também por uma extrema falta de habilidade da equipe norte-americana em lidar com situações adversas de toda ordem e que assim contribuíram para o fracasso da dupla.

De batidas entre os pilotos a um midiático chefe de equipe, de erros nos pit-stops a um aparente problema crônico nos freios… Tudo contribuiu para a Haas se encontrar na decepcionante nona posição do Mundial de Construtores, com apenas três pontos (um nono lugar de Kevin e um décimo de Romain), à frente somente da Williams, que ainda não pontuou nas 12 das 17 corridas do calendário modificado pela pandemia do novo coronavírus. 

Pode ser que Grosjean, de 34 anos, e Magnussen, de 28, até voltem à Haas ou mesmo à F1. Nunca se sabe. O primeiro já deixou mais claro que deseja sair da categoria e reconheceu que a Fórmula E e o projeto da Peugeot no WEC em 2022 são caminhos atraentes; já o segundo, se limitou a dizer que está trabalhando em projetos futuros e não deu pistas sequer se ainda tentará permanecer com um lugar entre os tão cobiçados 20 carros do grid. 

No GRANDE PREMIUM, o 10+ desta semana, portanto, traz os erros da Haas que ajudaram no fracasso de Grosjean e Magnussen.

Veja também:

Confira a repercussão da morte de Maradona na Argentina e pelo mundo
Grande Prêmio
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade