PUBLICIDADE

Ducati se surpreende com nível de Bagnaia e elogia: "Segue melhorando a cada ano"

Gigi Dall'Igna considerou que o italiano consegue dar um passo mais sempre que acham que ele alcançou o melhor nível na MotoGP

29 nov 2021 13h09
ver comentários
Publicidade
Francesco Bagnaia surpreendeu a Ducati em 2021
Francesco Bagnaia surpreendeu a Ducati em 2021
Foto: Ducati / Grande Prêmio

O QUE ESPERAR DE PETRUCCI NA NOVA AVENTURA NO DAKAR | GP às 10

Francesco Bagnaia encantou a Ducati na temporada 2021 da MotoGP. Chefe do time, Gigi Dall'Igna considerou que o piloto de Torino segue melhorando a cada ano e dá um passo mais sempre que acham que ele chegou no auge.

Pecco passou dois anos com a Pramac em 2019 e 2020, quando foi 15º e 16º no Mundial, respectivamente. Ainda assim, o piloto foi promovido ao time de fábrica e deu um considerável salto de performance. Neste ano, com seis poles, quatro vitórias e outros cinco pódios, chegou ao vice-campeonato, derrotado apenas por Fabio Quartararo, o campeão.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Gigi Dall'Igna elogiou Martín, Bagnaia e Bastianini (Foto: Ducati)

RANKING GP

A performance não só aumentou o status de Bagnaia no campeonato, mas também ofuscou Jack Miller, que esperado para liderar a Ducati neste ano. Nomes como Jorge Martín e Enea Bastianini, porém, também se mostraram boas apostas de Borgo Paganile, que contou também com Johann Zarco e Luca Marini nas estruturas satélites.

Questionado sobre quem mais o surpreendeu nesta temporada, Dall'Igna respondeu: "Todos os rapazes fizeram um ótimo trabalho, isso é óbvio".

"Martín fez a pole na segunda corrida dele na MotoGP, o que é muito difícil. Ele venceu uma corrida na primeira temporada, o que não é fácil", avaliou. "Mas Pecco também fez um grande trabalho, especialmente na segunda parte da temporada, quando ele foi o melhor", elogiou.

"Ele venceu quatro das últimas seis corridas. E seriam cinco se ele não tivesse caído em Misano. Ele estava no pódio em Austin", recordou. "Para ser sincero, Pecco é um piloto que segue melhorando a cada ano e quando você acha que ele atingiu o nível máximo, ele dá outro passo", exaltou.

O comandante da Ducati, porém, não soube apontar quem mais surpreendeu, mas aproveitou para também elogiar Enea Bastianini.

"Não sei quem me surpreendeu mais. Até mesmo Enea, que não tinha a moto oficial. Ele teve de usar a GP19 por que não podíamos fazer mais nada, mas mesmo com aquela moto, ele foi brilhante em certos momentos, como em Misano", comentou. "O que é especialmente importante é que ele foi muito competitivo na parte final da corrida, frequentemente tão forte quando o vencedor. Ele precisa melhorar na sexta e no sábado, mas se puder começar mais na frente, acho que ele será parte do jogo", encerrou.

GRANDE PRÊMIO lança especial que celebra carreira de Valentino Rossi. ACESSE

PARCEIROS E RIVAIS: COMO GARDNER E RAÚL FERNÁNDEZ ENTRAM NA MOTOGP | GP às 10

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade