PUBLICIDADE

Ducati arma artilharia e faz paredão em Misano para barrar título de Quartararo

Com Francesco Bagnaia ainda vivo na briga pelo título, a casa de Bolonha viu o piloto de Torino cravar a quarta pole-position consecutiva na MotoGP e ainda contar com a presença de Jack Miller e Luca Marini na primeira filha da grelha. Para melhorar ainda mais, Johann Zarco e Jorge Martín também vão largar à frente de Fabio Quartararo, que vai para a antepenúltima corrida de 2021 apenas na 15ª colocação do grid

23 out 2021 14h41
| atualizado às 14h48
ver comentários
Publicidade
Francesco Bagnaia sabe que poderá contar com a ajuda de Jack Miller em Misano
Francesco Bagnaia sabe que poderá contar com a ajuda de Jack Miller em Misano
Foto: Ducati / Grande Prêmio

CINCO MOTIVOS PARA FICAR DE OLHO NA MOTOGP EM MISANO | GP às 10

A Ducati subiu um paredão em Misano para impedir Fabio Quartararo de conquistar o título da MotoGP já neste fim de semana. O francês da Yamaha chegou para o GP do Feito na Itália e da Emília-Romanha com o primeiro match-point do campeonato de 2021, mas sofreu um considerável revés neste sábado (23), quando se classificou apenas em 15º ― o pior grid da carreira na categoria. Único rival ainda vivo na briga, Francesco Bagnaia fez o dever de casa no maior capricho e não só conquistou a pole, como também viu a casa de Borgo Panigale fechar a primeira fila, com Jack Miller em segundo e Luca Marini surpreendendo na terceira colocação.

A artilharia vermelha, contudo, não está montada apenas na primeira fila. Johann Zarco e Jorge Martín também estão no caminho de Quartararo rumo à ponta, já largam em décimo e 12º, respectivamente.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Francesco Bagnaia vai ter a companhia de Jack Miller e Luca Marini na primeira fila (Foto: VR46)

MATEMÁTICA DO TÍTULO

Com 52 pontos de atraso na classificação do Mundial, Bagnaia sabe que não tem nem meio caminho andando, mas vê a volta de 1min33s045 como um ponto de partida,

"Lindo! Foi um dia maravilhoso, quase não tenho o que dizer", começou Pecco. "Hoje tem ainda mais gente aqui do que da última vez, e conquistar a pole em Misano é fantástico", comentou.

"Estou muito feliz, pois não foi fácil, foi difícil. Quando coloquei o pneu novo, tive dificuldade, mas aconteceu. Nestas condições, você tem de fazer o máximo de voltas possível e nós conseguimos melhorar", afirmou. "Merecíamos a pole, fomos rápidos e amanhã estaremos prontos", assegurou.

Ainda, Bagnaia considerou que ter passado pelo Q1 ajudou, já que lhe deu mais experiência em condições difíceis de pista.

"Me ajudou muito. Tive sorte no azar", brincou. "Foi muito difícil passar e não achei que meu tempo fosse o bastante para a pole. O trabalho de equipe também foi importante para deixar Quartararo fora", comentou o italiano, que avançou rumo à fase final da classificação junto com Iker Lecuona, da Tech3. "Para amanhã, teremos de ver quais são as condições de pista. No seco, vamos jogar com todo mundo, mas menos no molhado", acrescentou.

O piloto de 24 anos afirmou que vai agradecer se contar com o ajuda dos colegas de marca, mas não espera nenhuma estratégia de equipe.

Fabio Quartararo registrou o pior desempenho da carreira em classificação da MotoGP (Foto: Yamaha)

WEB STORY

"Não acho que tenham estratégias. Eu gostaria de largar e escapar como da última vez que viemos para cá, mas não ai ser fácil. Os outros também são muito rápidos", observou. "Estou contente que Luca esteja na primeira fila e, se puderem me ajudar, agradeço, mas vamos ver o que acontece na corrida", concluiu.

Com ou sem ordens, Miller sabe o que está em jogo e garante que não vai esperar um pedido para atuar em favor do companheiro de equipe. "É questão de bom senso", afirmou.

"Ninguém precisa me dizer nada. Eles sabem que eu sou a favor", avisou.

Jack, porém, também tem objetivos próprios, já que segue na disputa pelo terceiro lugar na classificação. O australiano hoje tem a quarta colocação, 26 pontos atrás de Joan Mir, o terceiro na tabela.

"Temos rivais muito fortes lutando na classificação geral. No meu caso, contra Joan e, no de Pecco, com Fabio, na luta pelo título. E os dois vão largar mais para trás do top-18", lembrou Jack, já que o campeão vigente ficou apenas em 18º no grid. "O interessante seria se pudéssemos escapar o mais rápido possível e ver o que somos capazes de fazer na ponta da corrida", ponderou.

Mesmo com aliados e tão na frente de Quartararo, Bagnaia ressalta que isso não muda a estratégia para a corrida.

"Eu precisaria forçar se ele estivesse largando em segundo e acho que tenho de forçar da mesma forma com ele em 15º, pois a única coisa que posso tentar fazer para deixar o campeonato aberto é tentar vencer amanhã", reconheceu. "O objetivo seria o mesmo ainda que ele estivesse largando na frente", destacou.

Bem atrás no grid, Quartararo assumiu a culpa pelo resultado, já que entende que deixou de arriscar quando era necessário. Ainda assim, o francês disse que não está muito preocupado.

"Estava desapontado, mas guardei tudo dentro de mim", disse Fabio. "Quando estava no TL4 e vi Iker e Bagnaia, eu era terceiro ou quarto, e os dois estavam no Q1. Eu disse a mim mesmo 'vai ser um trabalho muito, muito duro', e, no fim, terminei em terceiro no Q1", relatou o piloto de Nice, que teve a volta cancelada por ignorar uma bandeira amarela.

"Não vou dizer que é o que eu esperava, pois tivemos um pouco de dificuldade e não me arrisquei o bastante no último setor. Mas é algo que posso entender. Mesmo que tenha sido algo inconsciente, não vou correr nenhum risco com essas manchas molhadas e é por isso que não estou tão desapontado", justificou. "Estava seco, mas com manchas molhas com pneus slicks, mas isso é algo em que eu preciso melhorar", avaliou.

"Mas o que posso dizer é, inconscientemente, não arrisquei muito com essas manchas molhadas, pois se você olhar para o meu último setor, sou um segundo mais rápido do que Q2, ainda que não estivesse lá. Mas as condições não estavam melhorando e, mesmo assim, sou rápido. Só perdi muito nos últimos dois setores, que foi estava molhado, então não estou muito preocupado", avisou.

Luca Marini vai largar na primeira fila pela primeira vez na MotoGP (Foto: VR46)

Questionado se essa postura foi reflexo de pensar no campeonato pela primeira vez no ano, o piloto da Yamaha respondeu: "Sim, claro. Antes de mais nada, tentei tudo no TL3 para tentar avançar direto ao Q2 e não terminamos longe, acho que três décimos ou algo assim, e melhoramos enormemente no molhado. Mas as condições desta tarde eram justamente aquelas que odeio. Fiz o meu melhor, então o 13º era o melhor que poderia conseguir no Q1".

"Vamos ver que pneus vamos usar amanhã na corrida, pois tive de usar pneus macios, que são os dois que eu não gosto", considerou. "Mas, nessas condições, eram os pneus que eu precisava usar. Amanhã de manhã, vamos começar com pneus diferentes", concluiu.

A previsão da Michelin é que, em caso de pista seca, a escolha de pneus fique entre os macios e médios dianteiros, com os macios atrás.

O GP do Feito na Itália e da Emília-Romanha de MotoGP, em Misano, acontece no domingo (24), às 9h (de Brasília). O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2021.

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

ADEUS DE ROSSI E TRIBUTO A SIMONCELLI: MOTOGP TRANSBORDA EMOÇÃO EM MISANO | GP às 10

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade