PUBLICIDADE

Cotado para vaga na SRT em 2022, Gerloff vê MotoGP como "meta da vida toda"

Com Franco Morbidelli especulado na vaga de Maverick Viñales e a possibilidade de Valentino Rossi se aposentar, Garrett Gerloff entrou no radar da equipe de Razlan Razali para o próximo ano

30 jun 2021 08h44
ver comentários
Publicidade
Garrett Gerloff substituiu Franco Morbidelli em Assen
Garrett Gerloff substituiu Franco Morbidelli em Assen
Foto: SRT / Grande Prêmio

Garrett Gerloff afirmou que correr na MotoGP é uma "meta da vida toda". O norte-americano é um dos cotados para uma vaga na SRT Yamaha para a temporada 2022.

Hoje, a escuderia malaia tem uma vaga disponível para a próxima temporada, já que Valentino Rossi ainda não definiu se vai seguir correndo ou não. No entanto, a equipe pode ficar completamente vazia se Franco Morbidelli for confirmado como o substituto de Maverick Viñales na Yamaha após o espanhol antecipar em um ano o fim vínculo com a fábrica dos três diapasões.

Garrett Gerloff deixou claro que sonha com uma vaga na MotoGP
Garrett Gerloff deixou claro que sonha com uma vaga na MotoGP
Foto: SRT / Grande Prêmio

ANÁLISE

Assim, a SRT está atenta ao mercado. As opções internas não estão tão em alta, já que Xavi Vierge é apenas o nono na classificação da Moto2, 134 pontos atrás do líder Remy Gardner, e Jake Dixon vem ainda pior, só em 21º, com 11 pontos. Por isso, Gerloff e Toprak Razgatlioglu, que defendem a Yamaha no Mundial de Superbike, passaram a ser opções.

No fim de semana, Gerloff fez a primeira corrida na MotoGP, mas ano passado já tinha tido um primeiro contato com o Mundial, quando foi chamado pela Yamaha para substituir Valentino Rossi após o italiano testar positivo para Covid-19. Naquele GP da Europa, porém, o #46 conseguiu os exames negativos necessários para assumir a moto ainda durante o fim de semana.

Desta vez, porém, Garrett apareceu para substituir Franco Morbidelli, que precisou passar por uma cirurgia no joelho esquerdo. Sem experiência prévia em Assen, o norte-americano fechou o GP em 17º.

"A vida toda, a minha meta foi correr na MotoGP, então eu definitivamente adoraria voltar e correr na MotoGP", disse Gerloff. "Mas, por enquanto, estou aqui só para esta corrida e aí volto para o Mundial de Superbike, que ainda é o meu foco principal neste ano", comentou.

"Quero fazer o melhor que puder lá e aí tentar conquistar a oportunidade de voltar aos GPs", avisou.

Ao site alemão Motorsport, Paul Denning, chefe da Yamaha na série das motos de produção, afirmou que a marca não "vai ficar no caminho" se Razgatlioglu ou Gerloff forem chamados para correr na MotoGP. No entanto, Kenan Sofuoglu, agente de Toprak, garantiu que, mesmo com propostas da classe rainha do Mundial de Motovelocidade, o turco seguirá no Mundial de Superbike pelo menos até 2023.

A MotoGP está de férias por cinco semanas e volta a correr apenas no dia 8 de agosto, no Red Bull Ring, para o GP da Estíria. Acompanhe a cobertura do GRANDE PRÊMIO sobre o Mundial de Motovelocidade.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

ASSISTA TAMBÉM

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade