PUBLICIDADE

Bezzecchi dedica 1º pódio na MotoGP a Rossi e Academia VR46: "Me apoiam muito"

Italiano contou que forçou como um louco para acompanhar Francesco Bagnaia no GP da Holanda e falou em analisar os dados da corrida para garantir que vai aprender o bastante para ficar sempre entre os ponteiros da MotoGP

27 jun 2022 - 09h30
Ver comentários
Publicidade
Marco Bezzecchi empunhou uma bandeira de Valentino Rossi após conquistar o pódio em Assen
Marco Bezzecchi empunhou uma bandeira de Valentino Rossi após conquistar o pódio em Assen
Foto: VR46 / Grande Prêmio

DO DOMÍNIO DE MARC MÁRQUEZ AO ZERO: A HONDA DE PONTA CABEÇA NA ALEMANHA

Marco Bezzecchi deu à VR46 o primeiro pódio da equipe na MotoGP. Emocionado com o segundo lugar no GP da Holanda de domingo (26) no ano de estreia na classe rainha do Mundial de Motovelocidade, o italiano dedicou o resultado a Valentino Rossi e à Academia de Pilotos VR46.

Além de defender as cores da equipe do multicampeão, Bezzecchi é um dos pupilos do #46 e foi recrutado para a Academia aos 15 anos. O piloto fez questão de ressaltar que não estaria onde está sem Valentino.

WEB STORY

Marco Bezzecchi conquistou o segndo lugar no GP da Holanda (Foto: VR46)

CLASSIFICAÇÃO DA MOTOGP

Falando à imprensa após a corrida, Marco se mostrou emocionado com o segundo lugar e contou que se empenhou no início da corrida para acompanhar o ritmo de Fabio Quartararo e Aleix Espargaró, mas, depois do incidente entre os dois, precisou "forçar como um louco" para manter contato com Francesco Bagnaia.

"Não sei como expressar essa emoção", disse Bezzecchi. "Foi fantástico. [A corrida] começou bem, mas não tão bem. Eu queria estar lá com os ponteiros, pois sabia que podia ser rápido. Eu estava alcançando Fabio e Aleix. Vi uma abertura e tentei ir atrás de Pecco, forçando como um louco. No fim, sempre tive uma boa aderência. Não precisei controlar muito os pneus. Diria que correu tudo muito bem", comentou.

"Quando vi a chuva, percebi algumas gotas, mas vi que não era muito. Aí notei Pecco chegando mais próximo, tentei permanecer focado e só segui forçando ao limite", relatou.

Bezzecchi destacou que sempre gostou de Assen, mas que anda não consegue encaixar perfeitamente no circuito com a Desmosedici da Ducati. Por isso mesmo, Marco quer estudar os dados para aprender as lições da corrida que lhe rendeu o segundo lugar.

"Fiquei feliz aqui em Assen. Realmente gosto de correr aqui. Sempre gostei das curvas, de freadas rápidas, mas ainda não estou perfeito. Mas fui eficiente aqui em todos os pontos, então vou dar uma boa olhada nos dados, mas espero ter aprendido o bastante para ser sempre competitivo. Ainda tenho de me acostumar a forçar tanto na frente. Quanto mais forçamos a nossa moto, melhor ela se comporta. É preciso confiança para fazer isso. E estou chegando lá".

Ao fim da corrida, Marco empunhou uma bandeira de Valentino Rossi, amigo e mentor na Academia de Pilotos VR46.

"Quero dizer olá a Vale. Mandar um abraço a ele. Me deram uma bandeira na pista, então obrigado!", disse. "Acho que o comissário queria dar a bandeira para Pecco, mas eu peguei, pois ele foi cumprimentar o público! Vale e toda a Academia fizeram um grande trabalho! Sem ele, eu não estaria aqui. Ele começou a me apoiar quando eu tinha 15 anos. Estar aqui é fantástico. Isso é para ele e para a Academia. Eles me apoiam muito e realmente progrediram neste ano", encerrou.

A MotoGP agora entra em férias e volta à ativa apenas no dia 7 de agosto, com o GP da Grã-Bretanha, em Silverstone. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2022.

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2.

MILLER MANTÉM STATUS, MAS DÁ PASSO ATRÁS COM IDA PARA KTM NA MOTOGP

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.
Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade