PUBLICIDADE

Bastianini aposta em moto competitiva em 2022: "Encontramos acordo com Ducati"

Italiano celebrou retorno à Gresini, mas lamentou a ausência de Fausto, que morreu no início do ano, vítima da Covid-19

13 jul 2021 10h05
ver comentários
Publicidade
Enea Bastianini vai defender a Gresini no próximo ano
Enea Bastianini vai defender a Gresini no próximo ano
Foto: Avintia / Grande Prêmio

Enea Bastianini revelou que encontrou o acordo que buscava com a Ducati e assegurou que terá uma moto muito competitiva na temporada 2022 da MotoGP. Hoje na Avintia, o italiano de 23 anos vai formar par com Fabio Di Giannantonio na Gresini no próximo ano.

Bastianini estreou na classe rainha do Mundial de Motovelocidade em 2021 e saiu de férias como o melhor entre os estreantes. O piloto de Rimini soma 27 pontos e tem a 16ª colocação no Mundial de Pilotos. Jorge Martín é o 18º, com 23, e Luca Marini o 20º, com 14. Lorenzo Savadori, que também é classificado como estreante pela MotoGP, apesar de ter disputado as últimas três corridas do ano passado como titular da Aprilia, acumula apenas quatro pontos.

Enea Bastianini e Fabio Di Giannantonio formam a dupla da Gresini para 2022 (Foto: Gresini)

Apesar de correr com a pequena Avintia, Bastianini chegou à MotoGP com um contrato com a Ducati, algo que será mantido com a mudança para a Gresini. No entanto, o piloto buscava um incremento do acordo, com mais apoio da fábrica.

"Encontramos o acordo que estávamos buscando com a Ducati e tenho certeza de que no próximo ano teremos uma moto muito competitiva", opinou. "Vou estar muito mais pronto para esta categoria em 2022 e com uma motivação ainda maior", assegurou.

A ida para a Gresini, aliás, tem sabor de reencontro, mas a tristeza pela ausência de Fausto Gresini, que morreu no início do ano, vítima da Covid-19. A equipe agora é tocada por Nadia Padovani, viúva do ex-piloto.

"É fantástico estar de volta à Gresini Racing, uma equipe que é como uma família para mim e que acreditou fortemente em mim no passado", disse Bastianini. "De fato, foi a primeira a acreditar em mim. Ficamos juntos por três anos e só tenho boas memórias", comentou.

"Obviamente, adoraria começar essa nova jornada com Fausto, mas a família Gresini é chamada assim por um motivo, então terei muitos amigos por perto que vão me ajudar", completou.

A MotoGP está de férias por cinco semanas e volta a correr apenas no dia 8 de agosto, no Red Bull Ring, para o GP da Estíria. Acompanhe a cobertura do GRANDE PRÊMIO sobre o Mundial de Motovelocidade.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.

Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade