PUBLICIDADE

Bagnaia resiste a Quartararo, domina e vence GP da Espanha. Aleix Espargaró é 3º

Depois de um início de ano muito irregular, Francesco Bagnaia deu a volta por cima com uma vitória sólida no GP da Espanha. Aleix Espargaró ficou em terceiro e garantiu o fim das concessões para a Aprilia

1 mai 2022 09h49
| atualizado às 10h37
ver comentários
Publicidade
Francesco Bagnaia dominou o GP da Espanha
Francesco Bagnaia dominou o GP da Espanha
Foto: Ducati / Grande Prêmio

CAMPEÃO X VETERANO: QUEM DEVE ORIENTAR EVOLUÇÃO DA YAMAHA NA MOTOGP?

No GP da Espanha de MotoGP deste domingo (1), a classe rainha teve mais um gostinho das grandes disputas de 2021: Francesco Bagnaia x Fabio Quartararo. Isso porque, nas 25 voltas da prova, os dois pareceram estar numa corrida à parte. Mas quem levou a melhor foi o piloto da Ducati, também pole-position da etapa, que segurou as investidas de piloto de Nice para vencer pela primeira vez em 2022.

'El Diablo', depois de muito insistir, terminou a 0s285 de Pecco e ficou na segunda posição. A briga pelo terceiro lugar foi tão quente quanto pela ponta: Aleix Espargaró, Marc Márquez e Jack Miller eram os envolvidos. No entanto, o piloto da Aprilia conseguiu segurar a vantagem que conquistou nas últimas voltas e fechou o top-3, garantindo o último ponto que faltava para que a Aprilia perdesse as concessões que a ajudaram a evoluir na MotoGP.

Bagnaia conseguiu resistir à pressão de Quartararo na Espanha para vencer a primeira do ano (Foto: Ducati)

▶️ Inscreva-se nos dois canais do GRANDE PRÊMIO no YouTube: GP | GP2

Márquez bateu Miller nos metros finais para terminar em quarto. Fecham o top-10: Joan Mir, Takaaki Nakagami, Enea Bastianini, Marco Bezzecchi e Brad Binder.

Com o resultado, Quartararo foi a 89 pontos e abriu sete de vantagem na liderança, mas agora tem Aleix Espargaró como rival mais próximo. Enea Bastianini é o terceiro, com Álex Rins caindo para quarto. Bagnaia avançou para a quinta colocação, seguido por Mir, Johann Zarco, Brad Binder, Marc Márquez e Miguel Oliveira.

A MotoGP volta às pistas no próximo dia 15 de maio para o GP da França, em Le Mans, sétima etapa da temporada 2022. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades do Mundial de Motovelocidade 2022.

ASSISTA

Saiba como foi o GP da Espanha de MotoGP:

A MotoGP encontrou um dia se sol e calor para a sexta etapa da temporada 2022. Antes da largada em Jerez de la Frontera, os termômetros mediam 28°C, com o asfalto chegando a 45°C. A umidade relativa do ar estava em 36%, com o vento soprando a 11 km/h.

Na saída para a pista, todos os pilotos fizeram a mesma opção de pneus: dianteiros duros e traseiros médios. E ninguém mudou antes da largada.

Quando as luzes se apagaram na reta do circuito que leva o nome do lendário Ángel Nieto, os 58.182 espectadores viram Francesco Bagnaia sustentar a liderança do GP da Espanha diante de Fabio Quartararo, com Jack Miller, Takaaki Nakagami e Marc Márquez dando o bote em Aleix Espargaró, que caiu para sexto. Joan Mir avançou pouco depois, passando Marco Bezzecchi para ser sétimo colocado.

Ainda na primeira volta, Marc Márquez e Aleix Espargaró passaram Nakagami, que caiu para sexto. Jorge Martín, porém, caiu na curva 13, mesmo destino de Stefan Bradl. Os dois tiveram incidentes separados no mesmo ponto da pista, mas ambos voltaram à ativa.

Enquanto isso, Pecco seguia no comando da corrida, mas só com 0s173 de margem para Quartararo. Miller vinha em terceiro, um tiquinho mais distante, acompanhado por Márquez, Aleix, Mir, Nakagami, Bezzecchi, Zarco e Binder.

Destaque no fim de semana pelo ritmo parecido ao do companheiro de Aprilia, Maverick Viñales teve um início de corrida bastante ruim e despencou para a 20ª colocação, à frente apenas de Andrea Dovizioso, Fabio Di Giannantonio, Lorenzo Savadori e dos tombados Stefan Bradl e Jorge Martín.

Proprietário de um ritmo superior ao longo do fim de semana, Quartararo mantinha a pressão em cima de Bagnaia, mas o italiano ia resistindo bem, sustentando uma vantagem na casa de 0s3. Miller, por sua vez, não conseguia acompanhar o passo e, na quinta volta, se afastou mais de 1s do piloto da Yamaha. Marc seguia por perto, unto de Aleix e Mir.

Nakagami seguia na sétima colocação, escoltado por puxando um grupo muito maior, que tinha Bezzecchi, Zarco, Brad Binder, Enea Bastianini, Pol Espargaró e Miguel Oliveira.

Na volta 6, Darryn Binder caiu na curva Michelin, mas escapou de lesões. O caçula dos irmãos sul-africanos conseguiu voltar para a corrida, mas na última colocação.

Com o duo da ponta cada vez mais isolado e com Bagnaia conseguindo abrir uma pequena vantagem em relação a Quartararo, as atenções se voltaram para Marc, que pressionava Miller pelo terceiro lugar. O hexacampeão, porém, não vinha sozinho, já que Aleix acompanhava o pelotão.

Com 16 voltas para o fim, foi Johann Zarco quem se despediu da prova. O francês caiu na curva 5 e não conseguiu voltar para a corrida, mesmo que tenha escapado de lesões maiores.

Vice-líder do Mundial, Álex Rins deu uma bela escapada na curva 12 e acabou caindo para a 22ª colocação na disputa. Foi o primeiro grande erro do espanhol na temporada.

Quem também se acidentou foi Bradl. Sim, de novo. Depois do tombo na 13, o piloto de testes da Honda caiu também na curva 1, mas, desta vez, deu a disputa por encerrada.

Na 12ª das 25 voltas previstas na Espanha, Bagnaia abriu 0s824 de margem para Quartararo, a maior diferença entre os dois em toda a corrida. 4s444, Miller seguia em terceiro, só 0s1 melhor que Marc Márquez, que anda tinha Aleix coladinho atrás. Mir vinha isolado em sexto.

Fabio conseguiu cortar a vantagem de Pecco pela metade pouco depois, mas o piloto da Ducati viu a diferença subir para a casa de 0s8 mais uma vez. Atrás, Aleix começava a ficar impaciente sem conseguir passar Marc, ainda preso atrás de Miller.

Com cinco voltas para fim, Marc finalmente quebrou a resistência de Miller, passando por dentro na Sito Pons. Jack tentou responder na curva seis, mas o espanhol segurou o terceiro posto.

A festa da torcida, porém, ainda não tinha acabado, já que Aleix atacou Miller e, com Marc espalhado depois de quase cair na curva 13, mas executar uma salvada daquelas, foi Espargaró quem subiu para terceiro, com o piloto da Ducati vindo para quarto. Com a disputa, Mir chegou no grupo, que virou um quarteto na briga pelo terceiro posto.

Uma vez em terceiro, Aleix forçou o ritmo e se isolou dos demais. Enquanto isso, Quartararo seguia o caminho contrário e remava para se aproximar de Bagnaia, que vinha dando tudo para manter a YZR-M1 à distância.

Nos metros finais do GP da Espanha, Márquez conseguiu passar Miller para ser quarto colocado, enquanto Bagnaia recebeu a bandeirada com 0s285 de margem para Quartararo.

MotoGP 2022, GP da Espanha, Jerez de la Frontera, Corrida:

1 F BAGNAIA Ducati 41min00s554 25 voltas
2 F QUARTARARO Yamaha +0.285  
3 A ESPARGARÓ Aprilia +10.977  
4 M MÁRQUEZ Honda +12.676  
5 J MILLER Ducati +12.957  
6 J MIR Suzuki +13.934  
7 T NAKAGAMI LCR Honda +14.929  
8 E BASTIANINI Gresini Ducati +18.436  
9 M BEZZECCHI VR46 Ducati +18.830  
10 B BINDER KTM +20.056  
11 P ESPARGARÓ Honda +20.856  
12 M OLIVEIRA KTM +23.131  
13 A MÁRQUEZ LCR Honda +25.306  
14 M VIÑALES Aprilia +27.358  
15 F MORBIDELLI Yamaha +27.519  
16 L MARINI VR46 Ducati +29.278  
17 A DOVIZIOSO RNF Yamaha +35.204  
18 F DI GIANNANTONIO Gresini Ducati +35.361  
19 Á RINS Suzuki +38.922  
20 R GARDNER  Tech3 KTM +43.378  
21 L SAVADORI  Aprilia +44.299  
22 J MARTÍN Pramac Ducati +1:07.681  
23 S BRADL  Tech3 KTM Abandonou  
24 J ZARCO Pramac Ducati Abandonou  
25 D BINDER RNF Yamaha Abandonou  

EUROPA X JAPÃO NA MOTOGP: CHEGOU A HORA DA REAÇÃO DAS GIGANTES YAMAHA, HONDA E SUZUKI?

Acesse as versões em espanhol e português-PT do GRANDE PRÊMIO, além dos parceiros Nosso Palestra e Teleguiado.
Grande Prêmio
Publicidade
Publicidade