7 eventos ao vivo

'Rose tem a direita forte, mas vou ganhar', diz boxeadora irlandesa

Katie Taylor elogia pegada da brasileira Rose Volante, prevê duelo 'duro' nos EUA, mas garante vitória

5 mar 2019
04h40
  • separator
  • 0
  • comentários

Um dos principais nomes do esporte irlandês da atualidade, a boxeadora Katie Taylor, adversária da brasileira Rose Volante, em luta marcada para o dia 15 deste mês, nos Estados Unidos, prevê um duelo "duro" e emocionante. "Mas estou confiante de que minha mão será levantada após o combate", disse a boxeadora, cinco vezes campeã mundial e medalha de ouro na Olimpíada de Londres-2012, em entrevista ao Estado.

O que você sabe sobre o Brasil, país da sua adversária dia 15?

Eu estive no Rio de Janeiro para a Olimpíada de 2016 e, infelizmente, as coisas não deram certo nos Jogos para mim (derrota nas quartas de final), mas eu realmente gostei do que vi da cidade e as pessoas foram muito amigáveis comigo.

Qual é sua análise sobre Rose Volante, com quem vai lutar?

Rose é uma grande campeã e uma grande lutadora também. Ela é muito forte e tem uma mão direita muito forte, então estou esperando uma luta bastante dura. Estamos invictas e somos campeãs, por isso estamos colocando muita coisa em risco neste encontro nos Estados Unidos.

Quem ganha? Você ou a boxeadora brasileira?

Eu não sou boa em fazer previsões, mas meu treinador, Ross Enamait, terá um plano para a luta e estou confiante de que minha mão será levantada no final do combate.

O que significa para você lutar na semana de Saint Patrick, apóstolo da Irlanda?

Obviamente trata-se de um grande fim de semana para os irlandeses em todo o mundo e especialmente para aqueles que estão nos EUA, onde vivem tantos de nós e também pessoas com raízes irlandesas. Então, eu estou realmente ansiosa para fazer uma grande apresentação - a luta de Katie e Rose será na Filadélfia.

Como você se sente sendo uma das personalidades irlandesas da atualidade?

Eu deixo esta análise para outras pessoas julgarem. Para um país pequeno, tivemos a sorte de produzir alguns atletas incríveis durante esses anos. Recebo muito apoio de casa, por isso espero continuar representando a Irlanda nos próximos anos e continuar trazendo títulos mundiais para o país.

Quais os pugilistas que você destaca no boxe atual?

Eu adoro assistir às lutas de Vasyl Lomachenko e Oleksandr Usyk. Lembro-me deles como amadores ainda e é ótimo vê-los agora como lutadores profissionais no auge da carreira. São tecnicamente brilhantes e você pode aprender muito observando-os no ringue.

Aos 32 anos, você pensa em ser campeã em outras categorias do boxe?

Definitivamente não conseguiria descer de peso, mas talvez pudesse subir um peso. Eu não me considero muito acima das demais lutadoras. É importante se concentrar apenas na próxima luta e agora eu sei que tenho um grande desafio pela frente com Rose Volante. Eu definitivamente quero ser campeã unificada no peso leve. Depois disso, vamos ver que outras oportunidades irão surgir.

O que pensa em fazer depois de largar o boxe?

Não tenho muita certeza ainda. Acho que está muito longe de isso acontecer, então não penso muito nisso agora. Eu gosto de viver o momento e não pensar muito sobre o que aconteceu no passado ou vai acontecer no futuro. Neste momento, certamente não estou pensando além de 15 de março, na Filadélfia.

Estadão
  • separator
  • 0
  • comentários
publicidade